Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

22 de outubro de 2020

Basílica de Santa Sofia = Hagia Sophia = Sagrada Sabedoria

14/07/2020 . Formação

Santa Sofia, um grande e histórico templo, patrimônio mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura – UNESCO – foi transformado em Mesquita dos muçulmanos por ordem do presidente da Turquia Tayyip Erdogan, no dia 11/07/2020.

Na oração do Ângelus do dia 12 de julho passado, o Papa Francisco lamentou a decisão turca e, muito comovido, exclamou: “Penso em Santa Sofia e fico muito triste”.

Igualmente protestou contra a decisão turca a Igreja Ortodoxa Oriental e muitas Organizações em vários países. Lamenta-se a decisão unilateral que desconheceu a história de Santa Sofia e seu o significado simbólico para toda humanidade e não só para um grupo religioso.

A basílica de Santa Sofia foi construída no século VI pelo imperador Justiniano I. É o resultado de grandes arquitetos bizantinos (cristãos) da Turquia. O templo é uma grande obra da arquitetura, foi o marco mais importante da arte bizantina. Tornou-se, então, a catedral da Igreja Oriental de Constantinopla.

Entre os anos de 1204 e 1261 ela foi convertida em catedral católica romana.

. Em 1453, o sultão Maomé II, o Conquistador, é iniciou o cerco de Constantinopla, tendo entre seus objetivos converter a cidade ao islamismo. O sultão prometeu às suas tropas três dias de saques sem limites se a cidade caísse, após o qual ele iria tomar para si a cidade e tudo o que ela continha. Santa Sofia não foi poupada da pilhagem, tornando-se, ao invés disso, o seu ponto focal, por conter, na visão de seus saqueadores, os maiores tesouros da cidade. Então ela foi transformada numa mesquita, o que perdurou até o ano de 1935. Desde então Santa Sofia tornou-se um grande museu visitado por turistas do mundo inteiro. Santa Sofia resistiu até a terremotos!

O grandioso templo é chamado de “Santa Sofia”, como se tivesse sido dedicado em homenagem a Santa Sofia. Sophia é a transliteração fonética em latim da palavra grega para “sabedoria” — o nome completo da igreja em grego é Ναός της Αγίας του Θεού Σοφίας, “Templo da Santa Sabedoria de Deus”. Desde então o templo foi dedicado ao Logos, Jesus, a Sabedoria de Deus!

Uma grande restauração de Santa Sofia foi ordenada pelo sultão Abdul Mejide I e completada por oitocentos trabalhadores entre 1847 e 1849, sob a supervisão dos irmãos suíço-italianos, os arquitetos Gaspare e Giuseppe Fossati. Os irmãos consolidaram a cúpula e os arcos, reforçaram as colunas e revisaram a decoração do interior e do exterior do edifício.

O exterior, revestido de estuque, foi pintado de amarelo e vermelho nas restaurações do século XIX por ordem dos Fossati, os arquitetos. O Interior de Santa Sofia, mostra dois dos quatro medalhões instalados pelos Fossati no século XIX. As superfícies interiores do templo são cobertas com mármores policromáticos, verdes e brancos com pórfiro púrpura, além dos mosaicos dourados.

Quando a restauração terminou, a mesquita foi reaberta com uma pomposa cerimônia em 13 de julho de 1849.

O templo continha uma grande coleção de relíquias. Era embelezada por grandes obras de arte como uma iconóstase de 15 metros de altura em prata. Lindas e grandiosas obras de escultura e de pintura enriquecem todo o templo de Santa Sofia.

Ela era a sede do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla e o ponto central da Igreja Ortodoxa por quase mil anos. Foi ali que o Cardeal Humberto, em 1054, excomungou o patriarca Miguel I Cerulário, iniciando o Grande Cisma do Oriente.

Por muitos anos, Santa Sofia serviu como modelo para diversas mesquitas otomanas, principalmente a chamada Mesquita Azul, que fica em frente a Santa Sofia, a Mesquita Şehzade, a Mesquita Süleymaniye, a Mesquita de Rüstem Pasha e a Mesquita de Kılıç Ali Paşa.

Os muçulmanos e membros da Igreja Ortodoxa delapidaram as imagens e ícones, cobrindo-os com gesso.
Minaretes foram instalados para caracterizar o templo como uma mesquita muçulmana.

A igreja foi ricamente decorada com mosaicos ao longo dos séculos. Eles geralmente representam a Virgem Maria, Jesus, santos ou imperadores e imperatrizes. Outras partes foram decoradas num estilo puramente decorativo, com padrões geométricos.

Uma missão da UNESCO em 1993 percebeu que o templo necessitava de uma restauração radical em seus revestimentos de mármore, sujos, janelas quebradas, pinturas decorativas danificadas pela umidade e falta de manutenção na ligação da talhadura. Desde então a limpeza, a telhadura e a restauração têm sido empreendidas. Os excepcionais mosaicos do assoalho e da parede que estavam cimentados desde 1453 agora são escavados e recriados gradualmente.

Lamentavelmente o presidente da Turquia, desconhecendo toda a história e significado histórico e afetivo de Santa Sofia, construída pelos cristãos bizantinos, transformou este monumento apenas em uma mesquita reservando-a para apenas os muçulmanos!

Pe. Geraldo Ildeo Franco – julho 2020

BIBLIOGRAFIA

– The Cathholic Encciclopedia – Robert Broderick – Nelson
– Para ler a história da Igreja – Jean Comby – E P S
– Religiões do mundo – Hans Kueng – Verus
– História da Igreja – Carlos Verdete – Paulus