Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

26 de novembro de 2020

São Bento

11/07/2020 . Formação

Bento de Núrsia, ou Benedito da Nórcia, Reino Ostrogótico, nasceu em 480. Bento foi monge, fundou a Ordem de São Bento ou Ordem dos Beneditinos, uma das maiores ordens monásticas do mundo. Faleceu na Abadia de Monte Cassino em 547 – Existem atualmente um mil e duzentos mosteiros beneditinos.

Vinte e três papas, cinco mil santos e três mil bispos pertenceram à Ordem dos Beneditinos! Criou a Regra de São Bento, em 534, um dos mais importantes e utilizados regulamentos de vida monástica, que serviu de inspiração para muitos outros grupos religiosos. Santa Escolástica era sua irmã gêmea.

Foi proclamado pelo papa Paulo VI como o patrono da Europa em 1964 e da Alemanha simultaneamente. É reverenciado não só pelos católicos, mas igualmente por ortodoxos e anglicanos.  Bento Fundou a Abadia de Monte Cassino, na Itália, destruída durante a Segunda Guerra Mundial e posteriormente restaurada.

O dia 11 de julho é a data em que se trasladaram as relíquias de São Bento para a Abadia de Saint-Benoît-sur-Loire. São Gregório Magno, (593?) escreveu a biografia de São Bento, baseada em fatos narrados por monges que conheceram pessoalmente o santo. O papa Gregório afirma que São Bento era filho de um nobre romano. Começou seus estudos em Nursia, perto de espoleto. Estudou Retórica e Filosofia em Roma, onde ficou decepcionado com a suja moral vivida naquela cidade. Partiu para, Enfide (atual Affile), em 500, recolhendo-se em uma gruta para dedicar-se como eremita à oração e à meditação. Foi descoberto por camponeses fieis que passaram a procurá-lo para lhe pedir ajuda espiritual.

Posteriormente foi convidado a ser abade-superior de um mosteiro em Vicovaro. Como Bento quisesse organizar a disciplina dos monges, alguns tentaram envenená-lo, sem, contudo, conseguir êxito. São Bento resolveu deixar a comunidade. Retornou à vida solitária, vivendo consigo mesmo: habitare secum, em oração, sacrifício e caridade fraterna.  Entretanto, a partir de 503, apareceram muitos candidatos querendo acompanhar Bento, tornando-se também monges. Para poder acolher a tantos vocacionados, Bento teve que fundar doze pequenos mosteiros.

Em 529, perseguido pelo sacerdote Florêncio, (que tentou também envenenar a Bento) tem de se mudar para o Monte Cassino, onde fundou o mosteiro que viria a ser o fundamento da expansão da Ordem Beneditina. Morreu em 21 de março de 547, tendo antes anunciado a alguns monges que iria morrer e seis dias antes de ter mandado abrir sua sepultura. Sua irmã gêmea Escolástica havia falecido em 10 de fevereiro do mesmo ano. São Bento geralmente é mostrado portando um o livro da Regra, um cálice quebrado e um corvo com um pão na boca, em memória ao pão envenenado que recebeu do sacerdote invejoso.

As relíquias de São Bento estão conservadas na cripta da Abadia de Saint-Benoît-sur-Loire (Fleury), próximo a Orleães e Germigny-des-Prés, França.

A MEDALHA DE SÃO BENTO

– O povo piedoso gosta de usar a Medalha de São Bento em suas vestes ou penduradas no pescoço e nas orelhas. Outros a utilizam em seus penduricalhos como as pulseiras, os brincos e broches. A medalha de São bento contém várias abreviações. Lembra a Cruz redentora em que Jesus derramou o seu sangue em favor de nossa salvação.
– O sinal da Cruz de Cristo é um sinal e lembrete da Salvação de Jesus, que, morrendo, concedeu-nos a oportunidade de nos salvar pelo poder redentor do sangue derramado na Cruz do Calvário.
– São Bento usava continuamente o sinal da cruz, o crucifixo, como sinal de salvação, de verdade, feito sobre ele. Nos momentos de fraqueza dos monges, Bento indicava o uso do crucifixo para afastar as tentações.
– Os monges analfabetos desenhavam a cruz como sua assinatura. A cruz protegia os mosteiros contra as perseguições. Desde o século XIV os monges se protegem usando a cruz nas casas, nas roupas e no corpo.
– Em 1742 o Papa Bento XIV aprovou o uso da medalha como um símbolo da proteção divina. A medalha mais conhecida é a do Jubileu, desenhada na Abadia de Beuron – Alemanha. Foi cunhada para o Jubileu beneditino em 1880, no 14º século do aniversário do nascimento de São Bento.
– A medalha, de um lado, apresenta a imagem do Santo Patriarca; do outro lado uma cruz e, nela e à sua volta, contém as letras iniciais de uma oração ou exorcismo,
Abreviações esculpidas nas medalhas de São Bento:
– No anverso da medalha: aparece a figura do santo com esta inscrição: Eius in obitu nostro praesentia muniamur: Que, na hora da nossa morte, nos proteja tua presença”.
– Ou: Crux Sancti Patris Benedicti ou ainda: Sanctus Benedictus. Em português: A cruz do santo Pai Bento.
– No reverso da medalha: C.S.P.B.: Crux Sancti Patris Benedicti: Cruz do pai São Bento.
– Na haste vertical da cruz: + c.s.s.m.: Crux Sacra Sit Mihi Lux: Que a Santa Cruz seja minha luz.
– Na haste horizontal da cruz: + N.D.M.D.: Non Draco Sit Mihi Dux: Que o demônio não seja o meu guia.
– Na parte superior direita: em sentido horário: + V.R.S: Vade Retro Sátana.: Afasta-te de mim, Satanás.
+ N.S.M.V.: Numquam Suade Mihi Vana.: Nunca me persuadam as coisas vãs.
– Sobre a cruz: + S.M.Q.L.: Sunt Mala Quae Libas: É mau o que me dás.
+ I.V.B. = Ipse Venena Bibas: Bebe o teu veneno.
+ na parte superior: PAX e também: IHS: JESUS HOMINUM SALVATOR: Jesus Salvador dos homens.
– São Bento, o Santo que deixou para a Igreja a grande organização dos monastérios que sobrevivem até hoje pela oração e pelas boas obras ORA Et LABORA.

Pe. Geraldo Ildeo Franco – julho 2020