Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

09 de junho de 2023

Papa Francisco nomeia Dom Juarez de Souza da Silva para a Arquidiocese de Teresina (PI)

05/01/2023 . Igreja

O Papa Francisco, acolhendo o pedido de renúncia apresentado por dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho, nomeou, nesta quarta-feira, 4 de janeiro, dom Juarez de Souza da Silva, até então bispo de Parnaíba (PI), como o oitavo arcebispo de Teresina (PI).

Trajetória de dom Juarez de Souza

Dom Juarez Sousa da Silva nasceu no interior do município de Barras, hoje município de Cabeceiras do Piauí (PI), no dia 30 de junho de 1961. É o primogênito dos sete filhos do casal Anísio Marques da Silva e Maria José Sousa da Silva.

Cursou o ensino fundamental nas escolas Olímpio e Gervásio Costa, em sua cidade natal, e o ensino médio, no Curso Técnico Tradutor e Intérprete no seminário da Assunção, em Jacarezinho (PR), fez bacharelado em Filosofia e Teologia no seminário Maior Sagrado Coração de Jesus, em Teresina (PI), é graduado em Filosofia pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), mestre em História Eclesiástica pela Pontifícia Universidade Gregoriana em Roma – Itália.

Foi ordenado diácono no dia 10 de julho de 1993, na catedral de Santo Antonio, em Campo Maior (PI); Presbítero, em 19 de março de 1994, na matriz Nossa Senhora da Conceição, em Barras (PI); Sagrou-se bispo, em 17 de maio de 2008, na catedral Nossa Senhora da Vitória, em Oeiras (PI), onde seu exerceu seu ministério episcopal, até ser transferido para a diocese de Parnaíba, como bispo coadjutor.

No dia 6 de janeiro de 2016, a nunciatura apostólica no Brasil, fez conhecer que o Papa Francisco nomeou dom Juarez Sousa da Silva como bispo coadjutor da diocese de Parnaíba (PI), transferindo-o da sede episcopal de Oeiras (PI).

Ao ser nomeado coadjutor, dom Juarez passaria a ser o próximo bispo diocesano de Parnaíba, fato ocorrido no dia 24 de agosto do mesmo ano, por ocasião da acolhida da renúncia de dom Alfredo Schaffler. O bispo assumiu como seu lema episcopal: Ut vitam habeant, “Para que tenham vida” (Jo 10,10), que expressa a finalidade de sua missão.

Exerceu as seguintes funções anteriores ao episcopado: administrador da paróquia de São José, em Alto (PI), de 1994 a 1996; vice-reitor e administrador do seminário maior Sagrado Coração de Jesus, de 1996 a 1998; Diretor do Instituto Católico de Estudos Superiores do Piauí (ICESPI), de 2002 a 2008; Professor de História da Igreja e Patrística, de 1998 e de 2002 a 2007.

Foi membro da Comissão Episcopal para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), bispo referencial da Comissão Nacional de Presbíteros, no período de 2016 a 2019. Atualmente, além de bispo diocesano de Parnaíba, dom Juarez é presidente do regional Nordeste 4 da CNBB e bispo referencial da Catequese no regional.

Trajetória de dom Jacinto Furtado

Natural de Bacabal, no Maranhão, Jacinto Furtado de Brito Sobrinho está à frente da Igreja de Teresina desde 2012, após ser indicado pelo Papa Bento XVI para ocupar a vaga do cardeal Sérgio da Rocha, à época transferido para Brasília.

Foi ordenado padre em 1972 e possui formação em Psicopedagogia. Como bispo, nomeado pelo Papa João Paulo II, em 1998, atuou no município de Crateús, no Ceará. Dom Jacinto é o sétimo arcebispo metropolitano de Teresina.

Dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho nasceu em Bacabal (MA) no dia 16 de junho de 1947. Realizou seus primeiros anos de estudos no Grupo Escolar Osvaldo Aranha (1ª a 4ª séries) e no Colégio Nossa Senhora dos Anjos (5ª a 8ª séries), em Bacabal. Fez estudos secundários no seminário Santo Antônio, em Campina Grande. Estudou Filosofia no seminário provincial de Fortaleza e no seminário regional do Nordeste, em Recife. Cursou Teologia no seminário regional do Nordeste, em Recife. Possui formação em psicopedagogia.

Jacinto Brito foi ordenado padre no dia 15 de janeiro de 1972, em Bacabal. Foi pároco na paróquia de São Benedito em Pedreiras, no período de 1972 a 1994. Foi membro do Conselho Pastoral Diocesano (1972-1980); membro da Comissão Nacional do Clero (1980-1983); membro do Colégio de Consultores da Diocese (1984-1994); Vigário geral da diocese (1990-1995). Foi reitor do Seminário Interdiocesano de Santo Antônio, em São Luís (1995-1998), onde também ensinou a disciplina prática sacramental.

Foi nomeado bispo de Crateús pelo Papa João Paulo II, em 18 de fevereiro de 1998. Recebeu a ordenação episcopal no dia 24 de maio de 1998, em Crateús, das mãos de dom Antônio Batista Fragoso, de dom Paulo Eduardo Andrade Ponte e de dom Pascásio Rettler. No dia 22 de fevereiro de 2012, o Papa Bento XVI o nomeou arcebispo de Teresina. Como 2º bispo diocesano de Crateús, sucedeu a dom Antônio Batista Fragoso. É o 7º arcebispo de Teresina, sucedendo a dom Sérgio da Rocha.

Saudação e agradecimento

A presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota de saudação ao novo arcebispo de Teresina (PI), dom Juarez de Souza da Silva, e um agradecimento ao dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho, agora emérito.

 

Saudação a dom Juarez de Souza da Silva

Estimado dom Juarez,

Recebemos com muita alegria a notícia de sua nomeação, feita pelo Papa Francisco, como arcebispo de Teresina (PI). Estamos certos de que sua vocação e espírito missionário serão essenciais ao longo desse novo momento de seu ministério.

No tempo em que celebramos as exéquias do Papa Emérito Bento XVI, destacamos um trecho da sua mensagem por ocasião do Dia Mundial das Missões, em 2011, para animá-lo neste novo momento de seu ministério:

“A missão universal envolve todos, tudo e sempre. O Evangelho não é um bem exclusivo de quem o recebeu, mas é um dom a partilhar, uma boa notícia a comunicar. E este dom-empenho está confiado não só a algumas pessoas, mas a todos os batizados”.

Assim como lembra-nos Jesus – se perseverarmos – nada temos a temer, até das vicissitudes tristes e difíceis da vida, nem sequer do mal que vemos à nossa volta, pois continuamos enraizados no bem.

Que Nossa Senhora Aparecida, serva perseverante na oração (cf. At 1, 12), o fortaleça na sua missão.

Em Cristo,

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo de Belo Horizonte (MG)
Presidente da CNBB

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre (RS)
Primeiro Vice-Presidente da CNBB

Dom Mário Antônio da Silva
Arcebispo de Cuiabá (MT)
Segundo Vice-Presidente da CNBB

Dom Joel Portella Amado
Bispo auxiliar da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ)
Secretário-geral da CNBB

 

Agradecimento a dom Jacinto Furtado de Brito Sobrinho

Estimado dom Jacinto,

A presidência da CNBB tomou conhecimento, nesta quarta-feira, 4 de janeiro, da decisão do Papa Francisco em acolher o seu pedido de renúncia, de acordo com o cânon 401§1º do Código de Direito Canônico.

Gostaríamos de lhe expressar imensa gratidão por sua vida e serviço junto às igrejas particulares de Crateús (CE) e Teresina (PI) e por seu dedicado empenho na vida missionária, em especial na região Nordeste.

Que a graça de Deus lhe permita continuar, na emeritude, sendo presença solidária e amorosa no meio do povo de Deus e, especialmente, dos que mais precisam.

Com preces,

Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo de Belo Horizonte (MG)
Presidente da CNBB

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre (RS)
Primeiro Vice-Presidente da CNBB

Dom Mário Antônio da Silva
Arcebispo de Cuiabá (MT)
Segundo Vice-Presidente da CNBB

Dom Joel Portella Amado
Bispo auxiliar da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ)
Secretário-geral da CNBB

Fonte e Foto: CNBB