Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

17 de junho de 2024

XXIII Curso de Inverno: “Os Concílios Ecumênicos e a Doutrina Social Da Igreja, em Perspectiva Sinodal”

04/06/2024 . Notícias da Diocese

Com a assessoria de Celso Carias, Doutor em Teologia pela PUC/Rio, que foi Assessor por muitos anos da Ampliada Nacional da CEBs e do Setor CEBs da Comissão Pastoral Episcopal para o Laicato da CNBB, foi realizado entre os dias 30 de maio a 1º de junho, o 23º Curso de Inverno no Regional I da Diocese de Itabira Cel-Fabriciano, na Paróquia São João Batista, bairro João XXIII, em Itabira. Aproximadamente 115 pessoas fizeram o Curso de Inverno acontecer.

O assessor, com muita maestria, teve como ponto de partida a “Rerum Novarum”, do Papa Leão XIII, Encíclica de 1891, documento que traz as reflexões sobre a difícil situação dos trabalhadores,  o salário justo, a defesa da propriedade privada, a estabilidade do emprego, o descanso no domingo, destacando as obrigações sociais dos patrões e operários.

A partir daí passeamos por outros documentos dos Papas:

– Papa Pio XI, Encíclica “Quadragesimo Anno”  de 1931, que se preocupou com as pessoas que vivem do seu trabalho, denunciando a injusta divisão dos frutos do trabalho.

– Papa João XXIII, Encíclica “Mater et Magistra”  de 1961, que  reflete sobre as transformações sociais da época e  fala sobre o humanismo cristão, que é universal. Destaca, ainda, que o operário deveria participar ativamente em seu trabalho, como protagonista.

– Papa Paulo VI, Encíclica “Populorum Progressio”  de 1967, quando o  assunto da paz e da justiça é destacado. O Papa  fala da necessidade de uma maior participação das pessoas na educação, na vida social e política, e também na promoção dos próprios países menos favorecidos.

– Papa João Paulo II, Encíclica “Centesimus Annus”  de 1991. No centenário da “Rerum Novarum”, dois anos após a queda do muro do Berlim e da queda do comunismo na Europa Oriental, o Papa critica, não somente o comunismo, mas também o capitalismo selvagem. Destaca, ainda, a saudável tarefa de qualquer iniciativa particular para o bom funcionamento da economia, incluindo a economia de mercado.

– Papa Bento XVI, Encíclica “Caritas in Veritate”  de 2009. Esta Encíclica foi publicada um ano após a crise mundial econômica e financeira. O Papa aborda as consequências da globalização e constata que o amor “caridade” é o instrumento mais importante para a justiça e para o bem comum, assim como para o desenvolvimento da humanidade.

– Papa Francisco, Encíclica “Laudato Si” de 2015: Essa Encíclica é considerada como a “encíclica ecológica”, ou a “encíclica social verde”. Nela, o Papa Francisco aborda a “ecologia integral”, do ponto de vista dos mais pobres: “Não se pode refletir sobre a preservação do meio ambiente, omitindo a justiça social, sistema econômico global, os direitos humanos e o problema dos refugiados”. Tem também a  Encíclica “Fratelli Tutti” de 2020: Nela são abordados os problemas do mundo de hoje. É um grito do Papa em defesa dos pobres. Ele está apelando para que o mundo seja aberto e cheio do amor e que os cristãos devem se envolver nesse processo. Salienta o Papa Francisco que o amor na política não é de forma alguma uma ingenuidade. Pelo contrário, o amor na política, nos tempos de hoje, pode ser sumamente eficaz e pode transformar as pessoas e as sociedades na bela unidade: “Fratelli Tutti”.

Destaco que tudo isso foi passado com muita sabedoria, numa linguagem popular que fez com que os Cursistas pudessem entender o que é a Doutrina Social da Igreja.

O assessor foi muito fiel ao que a Igreja defende, além de preservar os Valores da Igreja em cada um dos Documentos.

Digo com tranquilidade que foi um estudo de muita sabedoria dentro da realidade em que vivemos e com respeito ao Magistério da Igreja. Celso Carias incentivou as pessoas a assumirem a caminhada da Igreja, que está presente no mundo com tantos desafios.

A inteiração com o público participante, aberto à escuta e ao diálogo, ajudou na compreensão de que a situação atual do mundo, vista à luz da fé, faz-nos um apelo no sentido de um retorno ao núcleo mesmo da mensagem cristã, que cria em nós a consciência profunda do seu verdadeiro sentido e das suas urgentes exigências, ou seja, retornar ao núcleo da mensagem cristã é, antes de mais nada, resgatar sua dimensão social. Sem essa, o próprio Evangelho perde seu fermento mais fecundo, mais vital e mais eficaz.

* Pe. Hideraldo Verissimo Vieira
Pároco da Paróquia São João Batista-Itabira, Assessor Diocesano do Curso de Inverno, do Ecumenismo, da Equipe de elaboração do material de Reflexão, das CEB´s e dos Grupos de Reflexão.