Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

26 de outubro de 2021

Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano recebe Moção de Aplauso

06/10/2021 . Notícias da Diocese

Na noite da última terça-feira, dia 05 de outubro, na Câmara Municipal de Itabira, a Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano recebeu a Moção de Aplauso em atenção ao requerimento nº 081/2021 de autoria do Vereador Júlio César de Araújo por ocasião da realização do 27º Grito dos Excluídos, evento diocesano que acontece anualmente no dia 07 de setembro, sendo uma voz profética que busca os direitos, sobretudo dos menos favorecidos, os que não tem sido ouvidos e atendidos em suas necessidades mais básicas. A Moção de Aplauso foi assinada pelo Presidente da Câmara Municipal de Itabira, Weverton Leandro Santos Andrade. A cerimônia contou com a presença dos padres Ueliton Neves e Francisco César; dos representantes do secretariado diocesano (Vicente Bueno) e regionais (Ir. Sílvia e Édna), de alguns leigos, do bispo diocesano, Dom Marco Aurélio Gubiotti que, chamado à tribuna falou da importância desse reconhecimento e agradeceu ao vereador Júlio. Em seguida, na tribuna, o secretário diocesano de pastoral, Vicente Bueno tomou a palavra e falou do reconhecimento.

Tendo como lema do 27º Grito dos Excluídos “Na luta por participação popular, saúde, comida, moradia, trabalho e renda já”, o evento aconteceu na Paróquia Nossa Senhora da Piedade, Itabira, Região Pastoral 1. Contou com um número expressivo de representantes das três regiões pastorais, sendo representado ainda por Sindicatos, ONGs e do Comitê dos Atingidos pelas Barragens, além dos diversos movimentos eclesiais. Uma das razões de acontecer em Itabira é ser sinal de apoio e fortalecimento da Igreja na luta com os moradores dos bairros Nova Vista e Bela Vista, principais atingidos no momento pelas barragens, que sofrem ameaças de serem despejados pela mineradora Vale. Em sua fala, destacou Vicente Bueno: “Nosso lema é um forte grito diante das feridas de nosso povo: Feridas expressas pelas mortes de tantas pessoas queridas; por falta de vagas e medicamentos nos hospitais; feridas da fome crescente; feridas da falta de moradia e despejos; feridas da falta de trabalho e baixos salários; feridas da falta de renda, com pessoas endividadas, sem perspectivas de futuro, caindo no desespero…”, finalizou Vicente Bueno que renovou o agradecimento pelo reconhecimento de tal evento realizado pela diocese.

Pe. Ueliton Neves da Silva
Assessor Diocesano de Comunicação