Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

17 de abril de 2024

Morre dom Antônio Celso de Queirós, emérito de Cantanduva (SP) e ex secretário-geral da CNBB

17/04/2023 . Igreja

A diocese de Catanduva (SP) informou na noite do domingo, 16, o falecimento de Dom Antônio Celso de Queirós, aos 89 anos de idade. Ele esteve à frente desta diocese entre os anos de 2000 e 2009.

Anteriormente, dom Celso, como era mais conhecido, foi bispo auxiliar na arquidiocese de São Paulo, entre 1975 e 2000, atuando especialmente como vigário episcopal da Região Ipiranga. Dom Celso passou os últimos anos de sua vida na capital paulista. Ainda não há informações sobre o local do velório e do sepultamento.

Biografia

Dom Antônio Celso de Queirós nasceu em Pirassununga (SP), no dia 24 de novembro de 1933. Realizou os estudos de primeiro e segundo graus em Campinas (SP), entre 1946 e 1952, e estudou Filosofia na faculdade Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo, entre 1956 e 1957, e na Pontifícia Universidade de Comillas, Espanha, de 1957 a 1962, país onde foi ordenado presbítero em 17 de abril de 1960.

Em 15 de outubro de 1975, foi nomeado bispo auxiliar de São Paulo pelo Papa Paulo VI, tendo recebido a ordenação episcopal em 14 de dezembro de 1975, na catedral metropolitana de Campinas, pela imposição das mãos de dom Antônio Maria Alves de Siqueira.

Foi professor do seminário diocesano de Campinas, de 1961 a 1962; Assistente de JECF e da ACI, professor de Iniciação Teológica e de Doutrina Social da Igreja na Universidade Católica de Campinas, entre 1961 e 1969, e da PUC-SP, entre 1968 e 1970, Vigário Geral da Pastoral e Coordenador da Pastoral da arquidiocese de Campinas, assessor da CNBB, de 1971 a 1975, Subsecretário Geral da CNBB, entre 1972 e 1975, e do regional Sul 1 da CNBB, em 1975.

Foi ainda membro da Comissão Episcopal de Pastoral Linha 1, atuou junto ao CELAM (1995/1998), e como delegado à Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para América.

Dom Antônio foi secretário-geral da Conferência dos Bispos por dois mandatos consecutivos de 1987 a 1994 e vice-presidente de 2003 a 2007. Também foi responsável pelo Setor Leigos da Comissão Episcopal para o Laicato da CNBB.

Nota de Pesar pelo falecimento de Dom Antônio Celso de Queirós 

 

Estimado irmão, Dom Valdir Mamede,   

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) une-se em solidariedade à diocese de Catanduva (SP) e aos familiares por ocasião do falecimento de Dom Antônio Celso de Queirós, bispo emérito daquela estimada Igreja Particular, neste domingo, 16 de abril. 

Como ele própio dissera  na ocasião da celebração de seu Jubileu de Ouro Presbiteral, em homenagem concedida pelo Conselho Episcopal Pastoral da CNBB, em 16 de abril de 2010, mais da metade da sua vida foi dedicada à CNBB. Ele inclusive colaborou na redação das Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE).

Somos imensamente gratos pelo serviço prestado pelo prelado à nossa conferência episcopal no exercício dos serviços como seu secretário-geral e vice-presidente e, especialmente, na contribuição à caminhada da Igreja no Brasil por meio da redação e coordenação das DGAE.

Rogamos a Deus que conforte os corações de amigos e familiares, e dê ao nosso irmão o descanso eterno. 

 Dom Walmor Oliveira de Azevedo
Arcebispo de Belo Horizonte (MG)
Presidente da CNBB 

Dom Jaime Spengler
Arcebispo de Porto Alegre (RS)
Primeiro Vice-presidente da CNBB 

Dom Mário Antonio da Silva
Arcebispo de Cuiabá (MT)
Segundo Vice-presidente da CNBB 

Dom Joel Portella Amado
Bispo Auxiliar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ)
Secretário-Geral da CNBB 

CNBB