Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

27 de setembro de 2023

Comissão para o Laicato promove a comunhão entre as diferentes expressões laicais, carismas e serviços na Igreja no Brasil

08/05/2023 . Igreja

Uma das marcas do trabalho da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), desde 2022, vem sendo o avanço na consolidação da comunhão entre as diferentes expressões laicais, carismas e serviços na Igreja no Brasil. Neste sentido, foi criado em 5 de julho de 2021, após aprovação do Conselho Permanente da CNBB, o Grupo de Trabalho (GT) das Expressões Carismáticas Católicas. Na CNBB, o GT é ligado à Secretaria-Geral da entidade e acolhido na Comissão Episcopal para o Laicato.

O bispo de Tocantinópolis (TO) e presidente da Comissão para o Laicato da CNBB,  dom Giovane Pereira de Melo, explica que o grupo vem se configurando num espaço de diálogo e mútuo conhecimento entre as diversas expressões da corrente da Graça e a CNBB.

“É um encontro entre pessoas (sujeitos eclesiais), uma instância de escuta, de sinodalidade, de comunhão, dialogo, discernimento e comunhão. O GT quer respeitar o papel das igreja locais (dioceses) onde os carismas têm seu terreno prioritário – na variedade de ministérios, movimentos e espiritualidades”, ressaltou.

Nas reuniões, realizadas desde 2021, o presidente da Comissão para o Laicato informa que os participantes puderam se apresentar e expressar suas impressões, abrindo uma interlocução fraterna e responsável, num clima de escuta e comunhão.

O GT foi composto é composto por bispos que acompanham o movimento, em suas diversas realidades, além de convidados que as representam. Foram realizadas cinco reuniões, sendo quatro virtuais e uma presencial, tiveram como objetivos fazer a memória das experiências carismáticas, dos seus aprendizados e perspectivas comuns, avaliando o caminho percorrido, extraindo algumas propostas de caminho em unidade, como tem pedido o Papa Francisco a promoção da partilha do Batismo no Espírito Santo a toda a Igreja, cuidado aos pobres e a unidade dos cristãos.

Histórico e memória

Desde o início das atividades do Charis (Catholic Charismatic Renewal International Service), em 9 de junho de 2019, por ocasião da Solenidade de Pentecostes, surgiu a necessidade de um aprofundamento sobre os objetivos que levaram o Papa Francisco a extinguir os dois organismos que coordenavam a Renovação Carismática Católica no mundo: Catholic Fraternity (Fraternidade Católica, que direcionava as Novas Comunidades de experiência carismática) e ICCRS (Servico Internacional para a Renovação Carismática Católica), fundindo-os em um só serviço para toda a Renovação Carismática, chamada por ele de “Corrente de Graça”.

O secretário-executivo do GT, padre Heldeir Gomes Carneiro, de Palmas (TO), explica que o CHARIS não é um organismo de governo, mas um serviço de comunhão para todas as expressões carismáticas. “Devido à essa novidade, a CNBB achou por bem criar esse Grupo de Trabalho das Expressões Carismáticas, dentro da Comissão Pastoral para o Laicato, com o objetivo de entender e buscar a comunhão junto aos trabalhos de todo o movimento carismático no Brasil”, disse.

Participam do GT, fiéis leigos e leigas representantes do movimento Carismático e suas expressões na Igreja no Brasil (Renovação Carismática Católica, Novas Comunidades e o Serviço de Comunhão Charis), leigos e leigas da Comissão para o Laicato, bispos referenciais  e peritos em Direito Canônico e Vida Consagrada. Nestes encontros, os membros estreitaram laços, apresentaram suas perspectivas eclesiais de atuação e refletiram sobre a configuração, objetivo e método do GT.

São membros do GT

O Grupo de Trabalho Grupo das Expressões Carismáticas Católicas é composto por 4 bispos:  o bispo auxiliar de Brasília e referencial da CNBB para a Renovação Carismática do Brasil, dom José Aparecido G. de Almeida; o bispo de Paranavaí (PR) e referencial para o Serviço de Comunhão Charis, dom Mario Spaki, o bispo de Campos (RJ), responsável no âmbito da Comissão para o Laicato por acompanhar as novas comunidades, dom Roberto Francisco F. Paz e o bispo de Araguaína (TO) e presidente da Comissão, dom Giovane Pereira de Melo.

Representantes das expressões carismáticas: coordenador da Comissão Nacional para para as Comunidades Novas, Ítalo Juliani P. Fasanella, coordenadora do Serviço de Comunhão do Charis no Brasil, Kátia Roldi Zavaris, o assessor da Comissão Episcopal para o Laicato da CNBB, Laudelino A. dos Santos Azevedo e o presidente do Conselho Nacional da RCC do Brasil, Vinicius Rodrigues Simões. São assessores do grupo: padre Marcial Maçaneiro (SCJ), padre Heldeir Gomes Carneiro, seu secretário-executivo e a teóloga, leiga e professora Rosemary Fernandes da Costa.

Representando a vida consagrada, participaram como convidadas da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB), a presidente da organização, irmã Eliane Cordeiro e irmã Maria de Fátima Morais (ASCJ). O assessor da Comissão para a Doutrina da Fé, padre Luiz Henrique Brandão Figueiredo, também participou das reuniões.

CNBB