Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

08 de julho de 2020

Paróquia São José de Acesita

A Paróquia São José de Acesita, pertencente ao regional III, da Diocese de Itabira – Coronel Fabriciano, passou por algumas transformações desde o ano de 2009. O padre Abdala Jorge (In Memoriam), foi Pároco nesta Paróquia, no período de 1953 a 2009, administrando-a por 56 anos.

Em 2009, diante do quadro de saúde delicado, em que se encontrava o padre Abdala, foi designado a nossa Paróquia um novo Pároco, Padre Moacir Generoso dos Reis, monge  Cisterciense da Abadia de Nossa Senhora da Santa Cruz, que estava fazendo experiência na vida consagrada sacerdotal diocesana.

Entre os anos de 2009 a 2010, em que, padre Moacir assumiu a Paróquia, nosso território paroquial era composto pelas comunidades do setor sete, centro norte e do distrito de Cachoeira do Vale. Em específico, o setor sete era acompanhado pastoralmente pelo então Vigário Paroquial na época, Padre Jean Marie Lemaire (In Memoriam).

Em 2010, padre Moacir, retornou para a Abadia Cisterciense de Nossa Senhora da Santa Cruz, em Itaporanga – SP e padre Pascifal José do Nascimento, vindo da paróquia São José, de São José do Goiabal, assumiu como Administrador Paroquial, a Paróquia São José de Acesita.

No dia 10/10/2016, padre Pascifal, foi empossado como 4º Pároco desta Paróquia. Em sua administração, várias alterações ocorreram, dentre elas podemos destacar as seguintes:

  • O distrito de Cachoeira do Vale, constando até então como comunidade São João Batista, foi desmembrado da Paróquia São José e no dia 24/05/2017, foi instalada a 50ª Paróquia de nossa Diocese, a Paróquia São João Batista. Tendo sua inauguração dia 23/06/2017.
  • O setor sete, composto pelas comunidades: São Francisco de Assis, Santa Terezinha, São Sebastião, Cristo Rei, Sagrada Família, Santo Antônio, Nossa Senhora da Piedade e Nossa Senhora das Graças, foram reintegradas aos cuidadospastorais e administrativos de padre Pascifal, juntamente com as comunidades do centro norte. Tendo em vista que, anteriormente o setor sete estava somente sob responsabilidade de Vigários Paroquiais.
  • Foram reformadas e construídas Igrejas e centros pastorais, que estavam necessitados, como as Igrejas Santa Ana, Nossa Senhora das Graças, São Judas Tadeu, Santo Antônio, Sagrada Família e São Francisco de Assis e os centros pastorais das comunidades Nossa Senhora das Graças e São Judas Tadeu.
  • Novos projetos:
  1. Aquisição de terrenos para a construção de uma nova Igreja Matriz;
  2. Início da construção da nova Igreja Matriz;
  3. Construção do Centro Pastoral e do Escritório Paroquial;
  4. Readequação da Igreja Matriz (Antiga) e do pátio ao seu entorno, conforme projeto apresentado e aprovado pelo Ministério Público.
  • Pastorais e Movimentos foram surgindo e ressurgindo, com planejamentos, acompanhamentos, avaliações e serviços.
  • Surgimento de ministérios e do diaconato permanente.
  • Na administração paroquial, houve a informatização do escritório paroquial e a criação do conselho econômico-administrativo.
  • Foram implantados, os conselhos pastorais paroquiais e comunitários (CPP e CPC’s).
Homem justo
A primeira definição de José, que encontramos no Evangelho de Mateus, é “homem justo”. O noivo de Maria, diante da inexplicável gravidez da sua noiva, não pensa no próprio orgulho ou na sua dignidade ferida: pelo contrário, pensa salvar Maria da malvadez das pessoas, da lapidação à qual podia ser condenada. Ele não quis repudiá-la, publicamente,
mas deixá-la em segredo. Porém, naquela sua angústia compreensível e naquele sofrimento, o amor de Deus vem ao seu encontro através de um Anjo que veio aliviá-lo e a sugerir-lhe a escolha mais justa de não ter medo: “Não temas receber a Maria, tua esposa, porque o que nela está gerado é obra do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus”.

Homem obediente
Um Anjo acompanha José nos momentos mais difíceis da sua vida; a sua atitude, diante das palavras do Mensageiro celeste, foi de confiante obediência: recebe Maria como sua esposa! E, depois do nascimento de Jesus, o Anjo volta a advertir-lhe sobre o perigo da perseguição de Herodes; então, de noite, ele fugiu com a sua família para o Egito, um país estrangeiro, onde deveria começar tudo de novo e procurar um trabalho. Mateus, no capítulo 13, fala da sua profissão de carpinteiro, quando os habitantes céticos de Nazaré se perguntam: “Não será este o filho do carpinteiro”? Assim, ele ganha a confiança dos vizinhos. E, quando o Anjo volta, mais uma vez, para avisar-lhe da morte de Herodes, convidando-o a regressar para Israel, ele tomou consigo sua mulher e seu filho e se refugiou em Nazaré, na Galileia, sob a orientação do Anjo.

Pai putativo
Sem dúvida alguma, José amou Jesus com toda a ternura que um pai tem por seu filho: tudo o que José fez foi proteger e educar o misterioso Menino, obediente e sábio, que lhe fora confiado. Educar Jesus: a imensa desconformidade de uma tarefa de dizer ao Filho de Deus o que é justo e o que é injusto. Deve ter sido difícil para ele, humanamente falando, ter que procurá-lo, com aflição, por três dias, no Templo, onde ele tinha ficado, sem avisar seus pais, para discutir com os doutores, e ter que ouvir daquele menino de doze anos: “Não sabias que devo ocupar-me das coisas do meu Pai?”. Este é um tipo de perplexidade que todo pai sente quando percebe que seus filhos não lhes pertencem e que o destino deles está nas mãos de Deus.

Protetor dos moribundos
José não aparece, em nenhum dos quatro Evangelhos, durante a vida pública de Jesus, nem no Calvário ou no momento da Ressurreição. Por isso, deduz-se que tenha morrido antes que Jesus iniciasse a sua pregação. Segundo a tradição, José teria morrido circundado por Jesus e Maria. Por este motivo é invocado também como protetor dos moribundos, uma vez que todos nós gostaríamos de deixar esta terra tendo ao nosso lado Jesus e sua Mãe.

Pároco

Pe. Pascifal José do Nascimento

Vigário Paroquial

Pe. Nailson Mangabeira da Silva, CR

Diácono Paroquial

Diác. Marcelo de Souza Vieira

Diácono Paroquial

Diác. Marcelo de Souza Vieira

Telefone

(31) 3849-4600

Telefone

(31) 98814-6268

Site

www.saojoseacesita.com.br

E-mail

par.sj.acesita@hotmail.com

Comunidades

Matriz de São José
Praça 1º de maio, 89 - Centro Norte

Comunidade Nossa Senhora das Graças
Av. Ana Moura, 1303 - Alvorada

Comunidade São Judas Tadeu
Rua Plutão, 70 - Novo Tempo

Comunidade Sant’Ana
Av. Ana Moura, 5323 - Ana Moura

Comunidade São José
Av. Antonieta Martins de Carvalho, 70 - Timirim

Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
Rua Cento e Trinta e Um, 357 - Santa Maria

Comunidade Divino Pai Eterno
Rua Álamo, 284 - Vale Verde

Comunidade São João XXIII
Rua Carmen Cotta, 72 - João XXIII

Comunidade Nossa Senhora de Fátima
Avenida Maria Rodrigues de Carvalho, 598 - Novo Horizonte

Comunidade São Cristóvão
Rua Maranhão, 31 - São Cristóvão

Comunidade Sagrada Família
Rua Arnaldo Araújo Gandra, 06 - Quitandinha

Comunidade São Geraldo
Avenida Vinte, 239 - Olaria

Comunidade São Francisco de Assis
Rua Cinco, 50 - Alegre

Comunidade Santa Terezinha
Rua dos Enfermeiros, 295 - Santa Terezinha

Comunidade São Sebastião
Rua Jenipapo,189 - Limoeiro

Comunidade Cristo Rei
Rua Angico, 800 - Recanto Verde

Comunidade Sagrada Família
Rua Luiz Gonzaga, 186 - Alphaville

Comunidade Santo Antônio
Rua Juriti, 90 - Macuco

Comunidade Nossa Senhora da Piedade
Rua Antônio Sérgio dos Santos, s/n - Celeste

Capela Nossa Senhora das Graças
Zona Rural, s/nº - Licuri

Capela
Zona Rural, s/nº - Pelonha

Horários de Missas e Celebrações

Terça-feira:
07h – Matriz São José
19h - Comunidade São Geraldo (2ª terça – Missa)
19h - Comunidade São Cristóvão (3ª terça-feira)

Quarta-feira:
07h – Matriz São José
15h – Hospital (2ª e 4ª quarta-feira)
19h30 – Comunidade Nossa Senhora de Fátima (Última quarta-feira)

Quinta-feira:
07h – atriz São José
19h30 – Comunidade São José Timirim

Sexta-feira:
07h – Comunidade Matriz São José (1ª sexta-feira - Missa)
19h – Comunidade Matriz São José (1ª sexta-feira - Missa)
19h – Comunidade Santa Ana (1ª sexta-feira - Celebração)
19h30 – Comunidade Sagrada Família (1ª sexta-feira – Missa/Celebração)
19h30 – Comunidade Cristo Rei (1ª sexta-feira - Missa/Celebração)
19h30 – Comunidade São Francisco de Assis (1ª sexta-feira - Missa/Celebração)
19h30 – Comunidade São João XXIII (3ª sexta-feira - Missa)
19h30 – Comunidade Divino Pai Eterno (Última sexta-feira - Missa/Celebração)
19h30 – Comunidade São Judas Tadeu (1ª sexta-feira – Celebração)
19h00 – Comunidade Sagrada Família (1ª sexta-feira – Celebração)

Sábado:
09h – Comunidade Sagrada Família (Último sábado – Celebração da Catequese)
09h – Comunidade São Francisco de Assis (4º sábado – Celebração da Catequese)
18h – Comunidade Nossa Senhora de Fátima (Todos os sábados - Celebração)
18h – Comunidade Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
18h – Comunidade Matriz São José (Todos os sábados / Missa)
19h30 – Comunidade Nossa Senhora das Graças

Domingo:
07h30 – Matriz São José
07h30 – Comunidade São Francisco de Assis
09h – Comunidade Nossa Senhora da Piedade (1º, 2º, 3º, 5º domingo - Celebração)
09h – Comunidade Cristo Rei (2º, 3º, 4º domingo - Missa)
09h – Comunidade do Pelonha (4º domingo - Celebração)
09h – Comunidade São José do Timirim
09h30 – Matriz São José (Celebração das Crianças)
17h – Comunidade Nossa Senhora da Piedade – Bairro Celeste e Licuri (4º domingo)
17h – Comunidade Sagrada Família
18h00 – Comunidade São Sebastião
18h – Comunidade Santa Ana
18h – Comunidade São Judas Tadeu
19h30 – Comunidade Santa Terezinha
19h00 – Comunidade Santo Antônio
19h30 - Comunidade Sagrada Família
19h30 – Comunidade Cristo Rei
19h30 – Comunidade Matriz São José