Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

24 de novembro de 2020

Paróquia Nossa Senhora da Conceição

A Igreja de Nossa Senhora da Conceição teve sua construção iniciada em 1948 sob a coordenação do Padre Dr. José Higino de Freitas. A Igreja não se levantou de imediato, mas houve um tempo que, mesmo inacabada, recebeu fiéis para as celebrações religiosas. Em janeiro de 1958 com a chegada do Padre João Batista Gomes Neto as obras ganharam um impulso extraordinário.

No dia 25 de Dezembro de 1959, sendo o Papa João XXIII Pontífice Máximo da Igreja e Dom Helvécio Gomes de Oliveira Arcebispo Metropolitano de Maria, foi editado o decreto de criação da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, situada do povoado de Carneirinhos, Distrito de João Monlevade, município de Rio Piracicaba.

Estava toda a Igreja de Deus vivendo as alegrias natalinas, celebrando mais uma vez o nascimento do Senhor, festa que renova nas almas o sentimento de fé e de esperança. Em Carneirinhos, naquele ano particularmente, o nascimento de Jesus representou, mais do que a renovação da esperança, o renascimento de uma certeza: a comunidade-povo ganhava o passaporte para a maturidade, uma vez que, juridicamente e canonicamente, constituía-se em célula responsável e independe dentro da Arquidiocese de Mariana.

O decreto de criação da Paróquia foi assinado por Dom Oscar de Oliveira1, Arcebispo Coadjutor “sede plena”, isto é, com direito à sucessão. Nele constavam, os termos do Código de Direito Canônico em vigor, os direitos e privilégios da nova paróquia: “possuir pia batismal (Cân. 774 §1) cemitério eclesiástico (Cân. 1208, §1), ter seus respectivos livros paroquias (Cân. 470) e Livro de Fábrica2. Nele constam também os limites da nova paróquia, estabelecidos de comum acordo, em data anterior, pelo Cônego Higino e pelo Padre João: seu território se iniciava no antigo Posto do Tenente (que marca hoje o encontro das Avenidas Getúlio Vargas e Armando Fajardo), e englobava Carneirinhos, Loanda, Laranjeiras e Cruzeiro Celeste.

Na mesma data, o Arcebispo, em instrumento específico, nomeou como primeiro Pároco o Padre João Batista Gomes Neto, que já estava em Carneirinhos desde 31 de janeiro de 1958, como Vigário Cooperador do Cônego Higino, para cuidar dos interesses da Capela de Carneirinhos, e delegou ao Cônego Higino a competência para dar-lhe a posse canônica.

A posse do Padre João, conduzida pelo Cônego Higino, realizou-se às 10 horas da manhã, do dia 14 de fevereiro de 1960, no interior da agora Igreja Matriz da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição. Na ocasião, o Cônego Higino leu o Decreto de Criação da nova paróquia, recebeu, nos termos do Direito Canônico em vigor, a Profissão de Fé e o Juramento do novo Paróco e fez lavrar uma Ata de posse que foi assinada pelos dois sacerdotes e mais algumas testemunhas escolhidas.

São muitas as datas. Fiquemos, entretanto, com a data da criação da Paróquia – 25 de dezembro de 1959 – como seu principal marco histórico. Isto “porque a fundação de uma paróquia é sempre motivo de justa alegria para toda Igreja e, de modo particular, para os fiéis que, sob a direção de um Pastor, se sentem mais unidos pelo vínculo da fraternidade cristã, constituindo uma nova família paroquial3”. A demarcação territorial da paróquia Nossa Senhora da Conceição se estenderia sobre uma grande parte da cidade.

Uma breve incursão no futuro do Distrito comprova o acerto da repartição da jurisdição eclesiástica: em 1964 ele conquistaria sua emancipação político-administrativa, abrindo novas perspectivas para o seu futuro. Não passaria muito tempo e a nova paróquia seria dividida para atender melhor os interesses dos fiéis. Antes, porém, a Arquidiocese de Mariana passou por uma reorganização territorial e administrativa, desmembrando parte significativa de seu território para construir a nova Diocese de Itabira, criada em 18 de julho de 1965.

Dom Marcos Antônio Noronha, primeiro bispo da nova diocese, que participou da última sessão do Concílio Vaticano II, desenvolveu um trabalho importante de renovação da Igreja de acordo com as decisões do Concílio Vaticano II. Instaurou na Diocese um “tempo de reflexão”. Na paróquia o caminho não foi diferente, Padre João convocou as associações religiosas e o laicato para a reflexão, e logo começaram a surgir os primeiros frutos: criaram-se as primeiras comunidades de base que estão na gênese de toda a atividade religiosa.

Nas décadas de sessenta e setenta ocorreram diversas mudanças na paróquia; Padre João Batista Gomes Neto retornou à Diocese de Mariana. Assume a paróquia o Padre José Miranda. No curto período que ficou na paróquia instaurou a pastoral do Dízimo, transferiu para a Prefeitura Municipal a propriedade do Cemitério e instalou o primeiro Conselho Pastoral Paroquial.

Em fevereiro de 1974 a paróquia é confiada à congregação do Imaculado Coração de Maria. Os padres desta Congregação, todos belgas, vieram para assumir todo território paroquial. Primeiro chegaram os Padres Rafael D’Hondt e Marcos Ockerman. Mais tarde, no mesmo ano, chegou o Padre Renato Stormarq. Padre Ernesto Beaumont veio em 1975. Padre Jacinto Daniels e Padre Estevão Watté chegaram em 1978. Padre Marcos Aedens, em 1980, quando já ocorrera uma mudança geral na equipe. Padre Henrique Dominicus chega em 1983 e fica uns tempos com o Padre Estevão para preparar a entrega da paróquia à diocese, o que ocorreria no final de 1983. Esta congregação desenvolveu na cidade um trabalho de evangelização marcado pela participação na vida das comunidades eclesiais de base e nas lutas dos trabalhadores metalúrgicos. Também a Pastoral Familiar e a Pastoral da Juventude foram implementadas nesse período. Algumas Irmãs da mesma congregação se integraram ao trabalho.

Em 1984 a paróquia estaria novamente sob a responsabilidade de sacerdotes do Clero Diocesano. Prosseguindo sua caminhada dando andamento às diversas pastorais e assistindo social e espiritualmente às comunidades eclesiais de base passaram pela paróquia os seguintes padres, Padre Antônio Alves de Carvalho (1984-1988), Padre Sebastião Acácio Rodrigues (1989-1993, Padre Carlos Jorge Teixeira (1993-1998) teve o Padre Taumaturgo de Assis Oliveira como auxiliar (atualmente se encontra licenciado de suas funções sacerdotais.)

Padre Aloísio Vieira (1998-2003), Padre Marcos Antônio Rosa (2003-2009), Padre Carlos Jorge Teixeira (2009-2016). Em 2016 o Padre Marco José de Almeida assumiu a Paróquia Nossa Senhora da Conceição como Paróco e contou com o Padre Paulo Neves de Oliveira como Vigário Paroquial até o ano de 2018, ano que nasceu para a vida eterna. Em Janeiro de 2018, Padre Geraldo Reis foi nomeado Vigário Paroquial e está na paróquia até os dias de hoje auxiliando o Pároco Padre Marco José de Almeida.

A Paróquia atualmente conta com vinte e duas comunidades e três comunidades de vida. Cerca de trinta e cinco pastorais, grupos e serviços.

Trata-se de um título litúrgico, celebrado no dia 8 de dezembro, pelo qual os católicos professam a prerrogativa concedida unicamente a Nossa Senhora: Maria foi concebida sem a mancha do pecado original, e nasceu, portanto, sem o pecado original. Vale dizer: ela é toda santa, a cheia de graça, desde o momento de sua concepção.

O dogma da Imaculada Conceição de Nossa Senhora foi proclamado pelo papa Pio IX, em 1854, com a bula Ineffabilis Deus. Esta solene definição pontifícia foi resultado de um desenvolvimento da devoção popular aliada a intervenções papais e infindáveis debates teológicos. O calendário romano já incluirá a festa em 1476. Contudo, no sétimo século esta celebração já existia no Oriente. Em 1570, Pio V publicou o novo Ofício e em 1708 Clemente XI estendeu a festa, tornando-a obrigatória a toda cristandade. Quatro anos após a proclamação do dogma por Pio IX, Maria Santíssima apareceu a Bernadette Soubirous dizendo: “Eu sou a Imaculada Conceição”.

Nossa Senhora da Conceição

Em Portugal, o culto foi oficializado por Dom João IV, primeiro rei da dinastia de Bragança, que fora aclamado a 1º de dezembro de 1640, quando se iniciava a oitava da festa da Imaculada Conceição. Seis anos depois, com a aprovação das Cortes de Lisboa, o rei dedicou à Virgem Imaculada o reino português. O solar da padroeira é Vila Viçosa, que deu seu nome a uma ordem honorífica instituída por Dom João VI em 1818, com a denominação de Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa.

No Brasil existem cerca de 533 paróquias dedicadas à Virgem Imaculada. A primeira imagem chegou em uma das naus de Pedro Álvares Cabral. Os Frades Menores Franciscanos foram os propagadores dessa devoção.
Nossa Senhora da Conceição O culto teve início na Bahia em 1549, quando Tomé de Souza chegou a Salvador trazendo uma escultura da santa. Ela foi a protetora de nosso país no período colonial e foi proclamada Padroeira do Império Brasileiro por Dom Pedro I. Já no despontar do século XX, com o advento da República, o título cedeu lugar a Nossa Senhora Aparecida, que é uma antiga imagem da Imaculada Conceição encontrada nas águas do rio Paraíba do Sul.

Este título recorda que Deus, em sua Providência, quis formar de modo extraordinário a arca que conteria seu Divino Filho, poupando-a de todo e qualquer traço de pecado. Para Deus nada é impossível.
Amemos Maria Santíssima em sua imaculada conceição, na totalidade de seu amor e entrega nas mãos de Seu Salvador. Ele, que olhou para a humildade de Sua serva, acumulou de graças imperecíveis.

Ó Maria, concebida sem pecado, rogai por nós, que recorremos a vós!
Por vossa Conceição Imaculada, ó Maria, purificai meu corpo e santificai minha alma!

Saiba diferença entre Imaculada Conceição e Nossa Senhora da Conceição

No dia 8 de dezembro a Igreja celebra a Imaculada conceição de Maria. Ou seja, lembramos o dogma proclamado pelo Papa Pio IX, mas presente na fé cristã há muito tempo, de que Maria fora preservada do pecado original em vistas de sua missão de ser mãe de Jesus. Na piedade popular, encontramos a devoção de Nossa Senhora da Conceição. Esse é, por assim dizer, o “nome completo” da devoção de Aparecida, Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Ela faz referência ao dogma do Papa Pio IX?

Estritamente falando, parece que não. Antes mesmo da definição do dogma já existiam algumas confrarias dedicadas à Nossa Senhora da Conceição. E elas adotaram esse nome porque encontrou em Maria um modelo de mãe, de pessoa que concebe um filho, de conceição. Certamente, Maria é modelo de mãe e pode ser reverenciada nesse sentido. Ela foi abençoada com a missão de cooperar para que Jesus, o Filho de Deus, crescesse em estatura e graça diante de Deus e dos homens. As mães no mundo inteiro podem (e até devem) se espelhar no modelo de sua maternidade.

No entanto, como já vimos, a festa do dia 8 de dezembro faz referência a outra realidade também presente em Maria. No momento em que ela foi concebida por São Joaquim e Santa Ana, como fruto do amor matrimonial dos dois, Deus a preservou da mancha do pecado original já antecipando a missão que ela teria de carregar em seu próprio ventre o Salvador da humanidade. Para tentar colocar as duas comemorações na mesma frase, podemos dizer: Maria foi concebida sem pecado original e foi modelo de mãe ao conceber e cooperar com Deus com o crescimento e educação de Jesus.

Se entendermos bem essa distinção, não nos confundiremos mais quando escutarmos falar da Imaculada conceição e de Nossa Senhora da Conceição. Mas outro ponto é muito importante de ser dito neste momento. É também um ponto muito óbvio. Maria é uma só. A mesma que foi concebida sem mancha é a que é modelo de maternidade. Por isso podemos até dizer que as duas comemorações estão intimamente ligadas, já que fazem referência a uma única pessoa. Nossa Senhora da Conceição Aparecida é também imaculada. No dia 8 de dezembro celebramos essa conceição imaculada que mais tarde será arquétipo de maternidade.
Aproveitemos esse dia para celebrar a pureza de Maria. Ao mesmo tempo, celebremos também que essa pureza nos foi dada, pelo mesmo Senhor na Cruz, como Mãe. Ela é verdadeiramente nossa mãe espiritual e, assim como fez com Jesus, nos ensina os caminhos para viver uma verdadeira vida Cristã. Façamos jus ao que ela um dia disse no seu Magnificat e a chamemos de todo coração “Bem-aventurada” porque o Senhor fez nela maravilhas. E que, como filhos seus que somos, cooperemos com sua missão de fazer com que Jesus chegue a todos os corações que se encontram na solidão da falta de Deus.

Pároco

Pe. Marco José Almeida

Vigário Paroquial

Pe. José Geraldo da Silva Reis

Diácono Paroquial

Diác. Geraldo Luciano Lima

Telefone

(31) 3851-1454

Site

www.pnscjm.com.br

E-mail

paroquia.conceicao@yahoo.com.br

Comunidades

Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição
Rua Gomes Batista,102- Carneirinhos

Igreja Sagrado Coração de Jesus
Av. Gentil Bicalho,100- Carneirinhos

Comunidade Mãe Rainha
Rua Barra Mansa, 1266, -Vale do Sol

Comunidade Nossa Senhora Aparecida
Rua Rua Nova Era, 135- Nossa Senhora Aparecida

Comunidade Nossa Senhora das Graças
Rua Praça Minas Gerais, 49-Satélite

Comunidade Nossa Senhora de Fátima
Rua José Silva, 26 - José de Alencar

Comunidade Nossa Senhora de Fátima
Rua Joaquim Pinto, 250- Lucília

Comunidade Nossa Senhora de Lourdes
Rua Juiz de Fora, 388 - Lourdes

Comunidade Nossa Senhora do Rosário
Rua Hidelbrando Santana, 555- Rosário

Comunidade Santa Rita
Santa Rita de Pacas – São Gonçalo do Rio Abaixo

Comunidade Santa Rita
Rua Santa Rita, 193 - Novo Horizonte

Comunidade Santo Antônio
Rua Juscelino Kubitschek, 327- República

Comunidade Santo Expedito
Rua da Eta, - Nova Cachoeirinha

Comunidade São Benedito
Rua Sebastião Raimundo Pinheiro, 207 - São Benedito

Comunidade São Bento
Rua Bem-te-vi, 252 - Cidade Nova

Comunidade São Cristovão
Rua D, 186- Boa Vista

Comunidade São Francisco de Assis
Rua Campinas, 97- José Elói

Comunidade São Geraldo
Rua Quinze de Novembro, 255 - São Geraldo

Comunidade São João Batista
Rua Imbaúbas, 30, - São João

Comunidade São Jorge
Rua Campestre, 75 - São Jorge

Comunidade São Miguel Arcanjo
Rua Santa Cruz, 152-Nova Esperança

Comunidade São Sebastião
Rua Virgílio Lima, 231 - Lucília

Comunidade São Vicente de Paulo
Rua Boa Vista,248 -Ipiranga

Comunidades de vida:

Comunidade Católica Cordeiro de Deus
Rua Santa Rita, 205 - Novo Horizonte

Comunidade Missionária Sagrado Coração de Jesus
Rua Hibisco, 17 - Recanto Paraíso

Fraternidade Mãe Imaculada
Rua do Andrade, 509 - Jose Elói

Horários de Missas e Celebrações

Domingo
08h00 - Matriz De Nossa Senhora Da Conceição
08h00 - Comunidade Santa Rita
08h00 - Comunidade São Sebastião
10h00 - Igreja Sagrado Coração De Jesus
19h00 - Igreja Sagrado Coração De Jesus

1º Domingo
10h00 – Comunidade São Bento
17h00 - Comunidade Nossa Senhora Aparecida

2º Domingo
15h00 - Comunidade Santa Rita (Pacas)
17h00 - Comunidade Nossa Senhora Do Rosário
19h00 - Comunidade São Vicente De Paulo

3º Domingo
07h00 - Comunidade São Geraldo
15h30 - Comunidade São Cristóvão
17h00 - Comunidade Nossa Senhora De Lourdes

4º Domingo
08h30 - Comunidade Santo Antônio
15h30 - Comunidade Santo Expedito
17h00 - Comunidade Mãe Rainha
19h00 - Comunidade São Miguel

Segunda-feira
19h00 - Fraternidade Mãe Imaculada

Terça-Feira
07h00 - Matriz De Nossa Senhora Da Conceição

3º Terça-Feira
19h00 - Comunidade São Jorge

Quarta-Feira
19h00 - Matriz De Nossa Senhora Da Conceição

Quinta-Feira
07h00 – Comunidade Santa Rita
19h30 - Matriz De Nossa Senhora Da Conceição (Missa e Benção)

1º Quinta- Feira
19h00 - Comunidade São Francisco De Assis

1ª Sexta-Feira
07h00 - Matriz De Nossa Senhora Da Conceição
19h00 - Comunidade São Benedito
21h00 - Fraternidade Mãe Imaculada

3ª Sexta-feira
19h00 - Comunidade São João
19h00 - Comunidade Nossa Senhora De Fátima (Lucília)

Sábado
19h00 - Igreja Sagrado Coração de Jesus

1º Sábado
19h00 - Comunidade Nossa Senhora de Fátima (José de Alencar)

2º Sábado
07h00 - Comunidade Santa Rita (Ordem Terceira do Carmo)
17h00 - Igreja Sagrado Coração de Jesus (Missa Universitária)
19h00 - Comunidade Nossa Senhora das Graças

Todo dia 20 do mês
19h00 - Comunidade São Sebastião