Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

29 de novembro de 2020

Paróquia Nossa Senhora do Rosário – Catedral Diocesana

Desde o início da história de Itabira, com a chegada dos bandeirantes, a Igreja Católica marcou a sua presença de forma muito intensa. Quando se iniciou a formação do núcleo urbano, ao sopé do pico de Itabira, chamado “Cauê”, em função da atividade mineradora, exploração do ouro, foi erigida uma pequena capela como marco, sob a invocação de Nossa Senhora do Rosário, escolhida como padroeira da freguesia. A primeira versão sobre a sua construção é atribuída ao Padre Manoel do Rosário, por volta de 1705. A segunda é a de que teria sido construída pelos Albernaz, bandeirantes paulistas que aqui descobriram ouro em 1720.

A partir de dezembro de 1825, quando o povoado foi elevado a Freguesia, a Capela passou a ser matriz. Mais tarde foi demolida.

Em 1812, o Padre José Antônio de Araújo e João Francisco da Costa Lage organizaram a Mesa da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário. Sob a direção dos homens brancos, a Irmandade era formada por negros e escravos. Entre os irmãos havia o compromisso de prestar culto à Virgem do Rosário, sepultar os irmãos falecidos e rezar pela salvação de suas almas. Uma das formas da religiosidade popular se expressava nas bandas de Marujos, ainda hoje existentes na cidade.

Segundo informações contidas no livro de tombo da Igreja de Nossa Senhora do Rosário, Itabira se tornou paróquia, desmembrada de Santa Bárbara, aos 20 de dezembro de 1825, por alvará imperial. Era Bispo de Mariana Dom Frei José da Santíssima Trindade.

A matriz teve a sua construção iniciada em fins da década de trinta e concluída em 1848, sendo vigário o Cônego José Felicíssimo do Nascimento. Paredes de adobe, telhado colonial e duas torres: à esquerda, com o grande “Elias”, também chamado sino do Santíssimo Sacramento; à direita, os demais sinos, com tamanhos variados, mas bem menores que o Elias.

Com a criação da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano em 14 de junho de 1965, por Bula do Papa Paulo VI, e instalada a Diocese no dia 29 de dezembro daquele mesmo ano, a Matriz de Nossa Senhora do Rosário passou a se chamar Catedral Nossa Senhora do Rosário.

Em 1970, devido às fortes chuvas e condições precárias do telhado e rachaduras nas paredes, parte do templo ruiu, causando grande consternação no povo de Itabira. Tão logo se iniciou a construção de um novo templo. Idealizada como “uma Catedral para um novo tempo”, seu formato arredondado, apresenta a ideia de um grande abraço, que acolhe a todos. O templo não possui colunas, a fim de que nada impedisse o contato do presidente da celebração com o povo.

Por se tratar de uma construção nova, a nova Catedral de Itabira foi consagrada pelo Núncio Apostólico Dom Carlo Furno em 29 de dezembro de 1985, no vigésimo aniversário de instalação da Diocese.

Nossa Senhora do Rosário possui um devoção muito antiga. Teve origem com os Monges irlandeses no século VIII, que recitavam os 150 Salmos. Como os leigos não sabiam ler, os monges ensinaram a rezar 150 Pai Nossos, que mais tarde foram substituídos por 150 Ave Marias. Assim, a devoção, começou a se espalhar pelo mundo.

Em muitas aparições de Maria Santíssima, Ela pede, ensina e reza junto, a oração do Rosário, como em Lourdes, em Fátima e tantas outras.

São Domingos de Gusmão, fundador da Ordem dos Dominicanos, foi o grande propagador do Rosário no início do século Xlll. A Igreja lhe conferiu o título de Apóstolo do Santo Rosário. Naquela época havia muitos hereges que desviavam os fieis da Igreja Católica. São Domingos, com a prática da oração do Rosário, a pedido de Nossa Senhora, começou a combater as heresias dos albingenses, que crescia vertiginosamente na França.

O Papa mandou vários missionários para combater os hereges, mas nada conseguiram. Somente São Domingos, com a criação de sua ordem e com a insistente oração do Rosário, é que conseguiu acabar com esses hereges. São Domingos dizia que em todas as orações do Rosário pedia a intercessão de Maria Santíssima para converter os hereges e com o passar dos anos conseguiu.

A devoção a Nossa Senhora do Rosário atravessa os séculos, trazendo a Igreja para o lado de Maria Santíssima, que a leva para a Salvação de Jesus. O Rosário de Maria une a terra aos Céus. Maria Santíssima, em suas aparições, sempre insiste para que as pessoas rezem o Rosário, que é um dos caminhos para se chegar a Jesus e a Salvação eterna. O Santo Rosário é também uma poderosa arma de intercessão, um meio certo de se obter graças através da Virgem Maria.

Pároco

Pe. Márcio Soares

Telefone

(31) 3831-4327

Site

www.catedralitabira.com.br

E-mail

catedralsrarosarioitabira@yahoo.com.br

Comunidades

Catedral Nossa Senhora do Rosário
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro
Comunidade Sagrada Família
Av. France de Paula Andrade, 264 - Vila Paciência

Horários de Missas e Celebrações

Domingo
08:00Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro

19:30Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro

Segunda-feira
15:00Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro

Terça-feira
07:00Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro

Quarta-feira
07:00Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro
07:00Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro

Quinta-feira
07:00Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro

Quinta-feira
07:00Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro

Sexta-feira
19:00Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro


1ª Sexta-feira do mês(Sagrado Coração de Jesus)
07:00Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro

19:00Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro

Todo dia 12 (em honra a Nossa Senhora Aparecida)
19:00Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro

Todo dia 28 (em honra a São Judas Tadeu)
19:00Catedral
Praça Monsenhor Felicíssimo, 24 - Centro


2ª e 4ª Sexta-feira do mês
19:00Comunidade Sagrada Família
Av. France de Paula Andrade, 264 - Vila Paciência