Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

22 de maio de 2024

Dom Marco Aurélio Gubiotti “Pela Graça de Deus” (1 Cor 15,10)
Nasceu no dia 21 de outubro de 1963, em OuroFino/MG, filho de Benedito Gubiotti e Natalina Gubiott.

Cursou filosofia no Seminário Arquidiocesano de Pouso Alegre, e a teologia no Instituto Teológico SCJ, em Taubaté (SP).

Exerceu o ministério sagrado nas paróquias:
São Caetano em Brasópolis;
Santo Antônio em Jacutinga; Nossa Senhora Aparecida em Tocos do Moji;
São Sebastião em São Sebastião da Bela Vista e Nossa Senhora de Fátima em Santa Rita do Sapucaí.

Somos todos chamados a evangelizar

06 de outubro de 2018 Palavra do Bispo

Prezados irmãos e irmãs,
Alegria e paz.

Estamos no mês missionário e no terceiro domingo a Igreja celebra o Dia Mundial das Missões para recordar e reforçar o mandato de Jesus Cristo: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa Nova a toda criatura!”(…) Então, os discípulos foram anunciar a Boa Nova por toda parte” (Mc 16, 15.20). Os discípulos de hoje, isto é, as pessoas que professam a fé em Jesus Cristo, têm a mesma missão e alegria de apresentar o Evangelho à geração presente.

Com o tema “Enviados para testemunhar o Evangelho da paz” e lema: “Vós sois todos irmãos” (Mt 23,8), a Igreja nos convida a refletirmos sobre a urgência e o dever de ajudar o próximo, seja por meio da oração, do testemunho, da ajuda material aos projetos missionários etc.

Somos todos, pelo Batismo, missionários e o centro da missão é o anúncio de Jesus Cristo. Ele é o Evangelho, a Boa Notícia que não envelhece, é sempre nova. Diante de nossas limitações, nos recorda o Papa Francisco na Exortação Apostólica “A alegria do Evangelho” (EG 36) que na missão o “núcleo fundamental, o que sobressai é a beleza do amor salvífico de Deus manifestado em Jesus Cristo morto e ressuscitado”.

Nossa missão é evangelizar e nesta evangelização oferecer Jesus Cristo, como sinal de amor às pessoas, sobretudo às mais fragilizadas. “Se alguma coisa nos deve santamente inquietar e preocupar a nossa consciência é que haja tantos irmãos nossos que vivem sem a força, a luz e a consolação da amizade com Jesus Cristo, sem uma comunidade de fé que os acolha, sem um horizonte de sentido de vida”, (EG 46) diz o Papa Francisco. Em tempos de grave crise ética, de falta de referência a respeito do bem e do mal, Jesus Cristo se apresentou e continua a se apresentar como o caminho, a verdade e a vida.

A missão é chamado de Deus, tem sua fundamentação trinitária e profética. Uma obra conjunta pela salvação da humanidade. O Concílio Vaticano II situou a Missão na sua verdadeira fonte: ela nasce em Deus, é dom de Deus Pai, realizada pelo Verbo Encarnado e conduzida pelo Espírito Santo. É um grande projeto de bondade e misericórdia de Deus. A nossa colaboração missionária consiste apenas em deixarmo-nos envolver por esse dom misericordioso de Deus. A missão é proclamar a Palavra com alegria. O documento Evangelii Gaudium (Alegria do Evangelho) aponta as novas metas para o anúncio de uma Boa Nova ao mundo atual. Para o papa Francisco a ‘Missão’ exige uma transformação de uma Igreja institucionalmente sedentária, prisioneira dos estilos ultrapassados e propõe uma Igreja em saída!

A missão é profética. Os missionários e os cristãos têm a grande tarefa de anunciar o Evangelho e denunciar as múltiplas formas de exclusão social, a violência e desigualdade, ou seja, aquilo que não condiz com os valores do Evangelho. Todo cristão carrega o compromisso de construção de uma sociedade de igualdade, justiça e paz. A missão existe a serviço do Reino e da libertação.

A missão é assumir as atividades pastorais da Igreja. A Igreja cumpre sua missão e se realiza como diz o documento Ad Gentes: “mediante a atividade pela qual, obedecendo ao mandamento de Cristo e movida pela graça e pela caridade do Espírito Santo, ela se torna atual e plenamente presente a todos os homens ou povos para os conduzir à fé, liberdade e paz de Cristo, não só pelo exemplo de vida e pela pregação, mas também pelos sacramentos e pelos demais meios da graça”. (AG 5)

Irmãos e irmãs, ouçamos todos, atentamente, o chamado de Deus para o seu seguimento. Vivamos o nosso Batismo. Sejamos todos missionários. Que no penúltimo final de semana (dias 20 e 21), como gesto concreto da Igreja, participemos da Coleta do Dia Mundial das Missões.

Que por intercessão de Nossa Senhora Aparecida, padroeira de nossa Diocese, venha sobre você e sua família a bênção do Deus Pai, Filho e Espírito Santo.

+ Dom Marco Aurélio Gubiotti
Bispo Diocesano de Itabira-Coronel Fabriciano
“Pela Graça de Deus” (1Cor 15,10)

Confira Mais Artigos de Dom Marco Aurélio Gubiotti