Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

30 de maio de 2024

Dom Marco Aurélio Gubiotti “Pela Graça de Deus” (1 Cor 15,10)
Nasceu no dia 21 de outubro de 1963, em OuroFino/MG, filho de Benedito Gubiotti e Natalina Gubiott.

Cursou filosofia no Seminário Arquidiocesano de Pouso Alegre, e a teologia no Instituto Teológico SCJ, em Taubaté (SP).

Exerceu o ministério sagrado nas paróquias:
São Caetano em Brasópolis;
Santo Antônio em Jacutinga; Nossa Senhora Aparecida em Tocos do Moji;
São Sebastião em São Sebastião da Bela Vista e Nossa Senhora de Fátima em Santa Rita do Sapucaí.

Somos chamados a anunciar o Amor Divino

02 de agosto de 2019 Palavra do Bispo

Queridos irmãos e irmãs, amado povo santo de Deus!

Estamos em um mês muito especial na nossa Igreja, o dedicamos especialmente às vocações. O apelo que a Igreja faz neste tempo bonito é que todos cultivem um espírito vocacional em todos os ambientes, especialmente na família, na comunidade eclesial e em todos os movimentos e pastorais. Este mês contempla os vários tipos de vocações a serviço da Igreja e de sua ação missionária e evangelizadora, especialmente a vocação sacerdotal, a vocação da família, a vocação dos consagrados e religiosos e a vocação dos leigos. E podemos afirmar que aqui todos os batizados são contemplados e todos são vocacionados a trabalhar na vinha do Senhor.

Todos nós, irmãos e irmãs, fomos chamados à vida e somos vocacionados à santidade e ao serviço do Reino de Deus. Segundo o Papa Francisco, “nenhuma vocação nasce por si, nem vive para si. A vocação brota do coração de Deus e germina na terra boa do povo fiel, na experiência do amor fraterno”.

Particularmente, quero nesta minha mensagem agradecer a Deus pela vida e ministério de cada padre de nossa diocese. Desejo que possa cada vez mais consistentemente cultivar sua vocação presbiteral por meio de uma vivência alegre e testemunhal junto ao povo de Deus. O padre, ao exercer seu ministério com unção e zelo missionário, pelo seu testemunho, será fonte de novas e generosas vocações consagradas e para os ministérios leigos.

O Magistério da Igreja faz um grande apelo e ao mesmo tempo um reconhecimento aos presbíteros: “Os presbíteros são, na Igreja e para a Igreja, uma representação sacramental de Jesus Cristo Cabeça e Pastor, proclamam a sua palavra com autoridade, repetem os seus gestos de perdão e oferta de salvação, nomeadamente com o Batismo, a Penitência e a Eucaristia, exercitam a sua amável solicitude, até ao dom total de si mesmos, pelo rebanho que reúnem na unidade e conduzem ao Pai, por meio de Cristo no Espírito. Numa palavra, os presbíteros existem e agem para o anúncio do Evangelho ao mundo e para a edificação da Igreja em nome e na pessoa de Cristo Cabeça e Pastor”. (Pastores Dabo Vobis, 15).

Por ocasião da celebração do dia dos pais e a vocação familiar, quero saudar e deixar minha bênção de pai e pastor a todas as famílias, Santuários da Vida. Pais, seu papel junto a família é de suma importância. Deus é Pai e vocês comungam desta paternidade. Desejo que o amor, a compaixão e a harmonia reinem em cada lar.

Motivados pelo espírito vocacional deste mês, também quero saudar e agradecer a todos os religiosos e religiosas que muito se dedicam à evangelização nos diversos trabalhos nas mais variadas áreas em nossa Diocese.

Nossa Igreja toda ela é ministerial. Por isso, agradeço a todos os leigos e leigas engajados nas mais diversas pastorais e movimentos existentes em nossa Diocese. Agradeço aos catequistas, estes que são, por vocação e missão, grandes promovedores da fé em nossas comunidades eclesiais preparando crianças, jovens e adultos não só para os sacramentos, mas também para darem testemunho de Cristo e do Evangelho no mundo.

Por fim, aproveito o ensejo para fazer um apelo a toda nossa diocese para que se ponha em oração contínua pedindo ao Senhor da messe que envie mais operários para a sua messe, conforme nos pede Jesus no Evangelho segundo Mateus 9,38. Nas diversas instâncias eclesiais: família, grupos de vivência, diaconias, comunidades e paróquias, que haja um grande clamor a Deus por toda a Igreja. Vamos colocar em prática o que Jesus nos orienta quando nos diz: “pedi e recebereis” (Lc 11,9), para que não somente nossa Diocese, mas toda a Igreja possa contar com inúmeras vocações sacerdotais, religiosas, consagradas e leigas. Que todos nós, pela oração perseverante, possamos alcançar do Senhor o socorro que toda Igreja precisa, especialmente no que diz respeito às vocações para os diversos serviços da ação evangelizadora.

Que a Virgem Maria, celebrada neste mês na solenidade de sua Assunção, inspire-nos com sua coragem e seu entusiasmo, com sua abertura de coração e sua prontidão, para que digamos decididamente o nosso “Eis-me aqui” ao chamado do Senhor, cheios de alegria nos coloquemos a caminho, como Ela fez (cf. Lc 1,39), para que Jesus e seu reino sejam anunciados ao mundo inteiro.

A todos deixo meu abraço e minha bênção, votos de todo bem e toda graça neste novo tempo que o Senhor nos oferece.

Dom Marco Aurélio Gubiotti
Bispo Diocesano de Itabira-Coronel Fabriciano
“Pela Graça de Deus” (1Cor 15,10)

Confira Mais Artigos de Dom Marco Aurélio Gubiotti