Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

22 de maio de 2024

Dom Marco Aurélio Gubiotti “Pela Graça de Deus” (1 Cor 15,10)
Nasceu no dia 21 de outubro de 1963, em OuroFino/MG, filho de Benedito Gubiotti e Natalina Gubiott.

Cursou filosofia no Seminário Arquidiocesano de Pouso Alegre, e a teologia no Instituto Teológico SCJ, em Taubaté (SP).

Exerceu o ministério sagrado nas paróquias:
São Caetano em Brasópolis;
Santo Antônio em Jacutinga; Nossa Senhora Aparecida em Tocos do Moji;
São Sebastião em São Sebastião da Bela Vista e Nossa Senhora de Fátima em Santa Rita do Sapucaí.

Ser uma Igreja Samaritana

02 de março de 2020 Palavra do Bispo

Queridos irmãos e irmãs, amado Povo de Deus,

Com a celebração de Quarta-feira de Cinzas inicia-se a Quaresma, tempo de conversão e de penitência, tempo batismal. A Campanha da Fraternidade iniciada neste dia, nos oferece também a oportunidade de conversão, eis o tempo favorável. Ela, a Campanha da Fraternidade, é um instrumento para tornar mais concreta a conversão. Por isso a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), ano após ano, nos propõe um tema geral que atinja toda a sociedade brasileira e a cada um de nós, em particular, e a cada família.

O tema deste ano é “Fraternidade e vida: dom e compromisso”. É preciso ver a vida no sentido mais amplo e também no sentido mais estrito. A vida do planeta é um grande dom divino, mas dentre todas as vidas, a vida primordial, a vida primeira, a vida maior é a vida humana.

Durante o período da Campanha da Fraternidade, que se estende durante os 40 dias do tempo quaresmal, somos chamados a lançarmos um olhar novo, à luz da Palavra de Deus, sobre a própria vida, a vida no meio ambiente, a vida na família, a vida na comunidade, a vida eclesial e a vida social.

A imagem do Bom Samaritano, no Evangelho de Lucas (Lc 10,25-37), que está no texto base da Campanha da Fraternidade 2020 nos apresenta a missão da Igreja: ser uma comunidade de fé capaz de se compadecer com os que sofrem, com os que estão caídos à beira do caminho, mas não somente, mas cuidar, a exemplo do Bom Pastor que cuida de suas ovelhas. À luz da Palavra de Deus expressa neste Evangelho, estamos sendo chamados a fazer a quaresma deste ano, a fazer a páscoa e assim a conversão de maneira concreta. Somos chamados a ver ao nosso redor, começando em casa com a família, vendo as pessoas que estão à margem, que estão excluídas, que estão feridas, que estão carentes, necessitadas de cuidados e de apoio. Somos chamados a sentir compaixão. Estamos sendo chamados a abrir os olhos, a ver e a não cortar caminho. Somos chamados a ter um coração sensível, aberto, acolhedor e servidor. Somos chamados a cuidar uns dos outros e, todos juntos, a cuidar melhor do nosso planeta.

Com o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10, 33-34), a Campanha da Fraternidade traz a imagem da Irmã Dulce, esta que fez de sua vida doação e viveu em tudo a caridade.

Queridos irmãos e irmãs, com o Tempo Quaresmal nos preparemos melhor para a celebração da centralidade da nossa fé: o mistério pascal de Cristo Jesus. A Páscoa de Jesus não é e não pode ser vista simplesmente como um acontecimento do passado: pela força do Espírito Santo é sempre atual e permite-nos contemplar e tocar com fé a carne de Cristo em tantas pessoas que sofrem.

Entre os dias 06 e 08 de março acontecerá a Assembleia Diocesana do Povo de Deus. O Tema da nossa Assembleia é: “Povo de Deus em ação, para uma Igreja em saída” e o lema: “Coragem! Levanta-te, Ele te chama” (Mc 10,49).

A Assembleia Diocesana de Pastoral é um instrumento de comunhão e participação, na medida em que reúne os membros da Igreja que estão comprometidos com o trabalho eclesial, para pensar e definir prioridades, objetivos e programas de ação. É oportunidade de avaliar a caminhada pastoral na Diocese e apresentar propostas, em vista da elaboração do novo Plano Pastoral. Para isto se faz necessário escutar o nosso povo, nas várias instâncias, num processo participativo e envolvente, para se tomar decisões amplas, com grande animação pastoral.

A nossa Diocese, que é composta por 50 Paróquias, 661 comunidades, sendo 298 urbanas e 363 rurais, será bem representada pelos delegados de cada Paróquia, religiosos e religiosas, assim como também do nosso clero diocesano (Bispos, Padres e Diáconos). Será um momento bonito de escuta, participação e comunhão, a fim de encontrarmos caminhos para nossa ação missionária e evangelizadora, que será nosso Plano Pastoral a ser lançado na Festa dos 55 anos de nossa Diocese, a realizar-se no dia 14 de junho, na Paróquia Nossa Senhora da Piedade, em Itabira, sede do bispado. Convido a todos a estarem unidos em oração para o bom êxito da nossa Assembleia.

Que a Virgem Aparecida, nossa Padroeira, primeira discípula missionária nos acompanhe em todo o processo de realização de nossa Assembleia Diocesana, fazendo de nossa vida um constante caminhar para vós.

Desejo a todos uma abençoada Quaresma. Que acolhamos o apelo a deixar-nos reconciliar com Deus, fixemos o olhar do coração no Mistério pascal e nos convertamos a um diálogo aberto e sincero com Deus. Assim, poderemos tornar-nos aquilo que Cristo diz dos seus discípulos: sal da terra e luz do mundo.

Dom Marco Aurélio Gubiotti
Bispo Diocesano de Itabira-Coronel Fabriciano
“Pela Graça de Deus” (1Cor 15,10)

Confira Mais Artigos de Dom Marco Aurélio Gubiotti