Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

19 de junho de 2024

Dom Marco Aurélio Gubiotti “Pela Graça de Deus” (1 Cor 15,10)
Nasceu no dia 21 de outubro de 1963, em OuroFino/MG, filho de Benedito Gubiotti e Natalina Gubiott.

Cursou filosofia no Seminário Arquidiocesano de Pouso Alegre, e a teologia no Instituto Teológico SCJ, em Taubaté (SP).

Exerceu o ministério sagrado nas paróquias:
São Caetano em Brasópolis;
Santo Antônio em Jacutinga; Nossa Senhora Aparecida em Tocos do Moji;
São Sebastião em São Sebastião da Bela Vista e Nossa Senhora de Fátima em Santa Rita do Sapucaí.

Família: lugar privilegiado para transmitir a fé

03 de julho de 2023 Palavra do Bispo

Neste mês celebramos o dia dedicado aos idosos e avós em todo o mundo por ocasião da proximidade da celebração de São Joaquim e Sant’Ana, avós de Jesus Cristo.

Santa Ana é a mãe que ensina e educa, sentada numa cadeira, com o livro na mão, tendo Maria menina junto dela a ouvir atentamente os ensinamentos da mãe. O livro na mão lembra a Palavra de Deus e a tradição religiosa do povo de Israel; a outra mão aponta para o alto, indicando os caminhos que levam a Deus.

Da casa simples de Joaquim e Ana, veio ao mundo Maria, trazendo consigo aquele mistério extraordinário da Imaculada Conceição; nesta mesma casa, Maria cresceu, acompanhada pelo amor e pela fé de seus pais; aprendeu a escutar o Senhor e seguir a sua vontade. São Joaquim e Sant’Ana fazem parte de uma longa corrente que transmitiu a fé e o amor a Deus, no calor da família, até Maria, que acolheu em seu seio o Filho de Deus e o ofereceu ao mundo, ofereceu-o a nós. Vemos aqui o valor precioso da família como lugar privilegiado para transmitir a fé.

Na mensagem para o Terceiro Dia Mundial dos Avós e dos Idosos, a ser celebrado no dia 23 de julho, que tem como tema “De geração em geração, a sua misericórdia” (cf. Lc 1, 50), o Santo Padre, o Papa Francisco, dirige-se aos idosos levando-os a contemplar um encontro abençoado: o encontro entre Maria, jovem, e sua parente Isabel, idosa (cf. Lc 1, 39-5).

Na proximidade da Jornada Mundial da Juventude, diz o Papa Francisco em sua mensagem: “O Senhor espera que os jovens, ao encontrar os idosos, acolham o apelo a guardar as memórias e reconheçam, graças a eles, o dom de pertencerem a uma história maior. A amizade duma pessoa idosa ajuda o jovem a não cingir a vida ao presente e a lembrar-se que nem tudo depende das suas capacidades. Por sua vez, aos mais velhos, a presença dum jovem abre à esperança de que não se perderá tudo aquilo que viveram e se vão realizar os seus sonhos. Em resumo, a visita de Maria a Isabel e a consciência de que a misericórdia do Senhor se transmite duma geração à outra mostram que não podemos avançar – nem salvar-nos – sozinhos, e que a intervenção de Deus se manifesta sempre no conjunto, na história dum povo. É precisamente Maria quem no-lo diz no Magnificat, alegrando-Se em Deus, que, fiel à promessa feita a Abraão (cf. 1, 51-55), realizou maravilhas novas e surpreendentes.”

Os avós são uma presença importante por carregarem o tesouro da experiência de vida. São longos anos que proporcionaram as mais variadas vivências e a administração das mais diferentes situações. Tudo isso não traz receitas prontas para o presente, mas possibilitou maturidade, sabedoria para quem as viveu. “Os idosos ajudam a perceber a continuidade das gerações, com o carisma de lançar uma ponte entre elas. Muitas vezes são os avós que asseguram a transmissão dos grandes valores aos seus netos, e muitas pessoas podem constatar que devem precisamente aos avós a sua iniciação à vida cristã”, ensina o Papa Francisco (Amoris Laetitia, 192).

Muitos idosos experimentam amor e acolhida, respeito e gratidão. Outros, a ingratidão, maus tratos e abandono. Seja como for, os tempos atuais mostra a necessidade da Pastoral da Pessoa Idosa em nossas Paróquias. Seus membros tem a missão visitar nossos idosos, quando possível integrá-los na vida social pela recreação e a oração e, sobretudo, colaborando para que tenham acesso à Comunhão Eucarística domiciliar e à Unção dos Enfermos. Que a estes não falte a assistência pastoral da nossa Igreja.

Que os avós de Jesus nos ajudem a sermos autênticos discípulos-missionários de Jesus. Aos avós que já estão na glória do céu nos unimos em mementos de ação de graças pela gratidão do tesouro da fé que nos legaram.

Recebam meu abraço e minha bênção de pai e pastor e o desejo de um mês abençoado, repleto de realizações. Na oportunidade manifesto meu carinho e estima a todos os avós e idosos. Que a Virgem Maria os ajudem a alimentar sempre a fé e a esperança em Deus.

Que Deus abençoe e fortaleça nossos idosos e avós.

Itabira, 03 de julho de 2023.

Dom Marco Aurélio Gubiotti
Bispo Diocesano de Itabira-Coronel Fabriciano
“Pela Graça de Deus” (1 Cor 15,10)

Confira Mais Artigos de Dom Marco Aurélio Gubiotti