Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

29 de outubro de 2020

Política

05/10/2020 .

Democracia: o governo do povo com e para o povo

  1.  “A democracia… é uma constituição agradável, indiferentemente a iguais e a desiguais.” — Platão filósofo grego -427 – -347 a.C.
  2. “Democracia com fome, sem educação e saúde para a maioria, é uma concha vazia.” — Nelson Mandela político e ativista sul-africano, Ex-presidente da África do Sul 1918 – 2013
  3. “Democracia amplia a esfera da liberdade individual, o socialismo a restringe.
    Democracia atribui todo o valor possível de cada homem; socialismo faz de cada homem um mero agente, um mero número.
    Democracia e socialismo não têm nada em comum além de uma palavra: igualdade.
    Com uma grande diferença: enquanto a democracia procura a igualdade na liberdade, o socialismo procura a igualdade no controle e na servidão.” — Charles Tocqueville

Política: a ciência para governar a cidade

A política lembra a PÓLIS = Cidade, comunidade, o bem comum de todos e para todos. A política é a ciência que une os cidadãos em prol do bem comum. Não admite favoritismos, privilégios nem incompetência.

A política nos conduz para uma administração democrática: todos somos iguais diante da Lei, que foi votada e assumida por toda a população, através de seus representantes eleitos para governar o país, os estados e os municípios, através do poder executivo, judiciário e legislativo, sempre com o povo em favor do bem de todos.
Todos nós fazemos política, quando zelamos pelo bem comum, em favor da justiça para TODOS, defendendo os direitos individuais e os coletivos, nos vários aspectos das necessidades básicas dos cidadãos: educação, família, segurança, transportes, respeito às Leis.

A política é sempre iluminada pela MORAL e pela ÉTICA, preservando os valores da VIDA, desde o nascituro até os mais idosos. Defende os valores da família, base de uma sociedade feliz e madura. Condena TUDO o vá contra os bons costumes que possam destruir a qualidade de vida e a moralidade das ralações humanas.
A política, leva-nos a assumir o bem comum, de todos e para todos. A RE-PÚBLICA lembra-nos que a coisa (o Estado) é um bem de todos, de tal modo que cada cidadão é corresponsável pelo seu progresso. Por isso, participa pagando os impostos devidos ao erário público, zelando pelos bens móveis e imóveis que são usados por toda a população.

A política está ligada à Democracia: o governo do povo, com o povo e para o povo, sem privilegiar, sem discriminar, sem corrupção e com competência.

A política respeita as várias maneiras de pensar do povo, desde que se preservem os princípios da equidade, da justiça, do direito e da fraternidade.

A política não admite a OMISSÃO, a covardia, a perseguição, a corrupção, dado que o coletivo deve ser preservado por todos. Omitir-se é covardia! Por isso, somos seres políticos criando uma sociedade em que CADA cidadão tem seus direitos preservados, relativamente aos seus deveres simultaneamente.

A Igreja e a política

A igreja católica orienta os seus fiéis sobre o seu compromisso político. Muitas Encíclicas dos papas continuamente orientam os fiéis para que assumam os seus deveres patrióticos.

Para a Igreja nem o capitalismo do lucro selvagem nem o socialismo podem contribuir para o bem individual nem da coletividade. A Doutrina social da Igreja prega um governo em que a pessoa humana é a protagonista de todas ações governamentais em vista do bem comum; o Governo não é um poder, mas um serviço; todos somos irmãos vivendo a fraternidade e a partilha.

A voz da Igreja

Em muitos momentos a Igreja se pronunciou em favor de uma sociedade justa, fraterna, participativa, humanitária voltada para o bem individual e coletivo.

– Leão XIII – Rerum Novarum – 1891

– Exortações apostólicas orientando os fiéis para assumirem democrática e cristãmente a política do bem comum.

– Uma grande orientação da Congregação para a doutrina da fé – sobre a participação e comportamento dos católicos na vida política – 2002.

– A Igreja sempre orienta de muitos modos como através de Encíclicas como a Quadragésimo, centésimo anno; Pacem in terris, Lumen gentium e outros documentos do Concílio e do CELAM, com as Assembleias Latino Americanas.

Não tem como ficar fora da política. Como cristãos devemos sempre participar. Cabe aos ministros da igreja conscientizar, orientar, ajudar a formar lideranças patriotas.
Não cabe aos ministros da igreja tomar partido, participar dos comícios nos tempos eleitorais.

A política abrange tudo o que for melhor e justo para a sociedade, em vista do bem comum

– Se Jesus ficasse só rezando, iria morrer de velho. Mas Ele fez política, foi Profeta, incomodou aos corruptos dentro da religião (fariseus, saduceus, sacerdotes corruptos) e na vida da política (Herodes, Pilatos, comerciantes que se enriqueciam à custa da exploração do povo pobre). Fez política incomodando os corruptos e defendendo os mais fracos.
– A Igreja católica tem um Compêndio de sua DOUTRINA SOCIAL, baseada na pessoa justa e misericordiosa de Jesus, nos Evangelhos, na partilha e na sua missão profética de DENUNCIAR OS ERROS dentro e fora da mesma igreja e ANUNCIAR UM TEMPO DE SALVAÇÃO, desde que se pratique a caridade, a misericórdia e a partilha.
– Cabe a cada cristão católico, profeta, participar da POLÍTICA, construindo a DEMOCRACIA, para construir uma sociedade justa e fraterna.

Pe. Geraldo Ildeo Franco – 01/10/20

Veja Também