Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

04 de dezembro de 2021

Diocese celebra Centenário de nascimento de Dom Mário Teixeira Gurgel

25/10/2021 .

A última sexta-feira, 22 de outubro, foi marcada pela ação de graças pois celebrou-se na Catedral Diocesana Nossa Senhora do Rosário em Itabira/MG, o Centenário de Dom Mário Teixeira Gurgel.

Presidida pelo nosso Bispo Diocesano Dom Marco Aurélio Gubiotti e concelebrada por parte dos sacerdotes de nosso clero, a celebração contou com a presença de familiares do querido Dom Mário, padres da Congregação do Divino Salvador, a qual ele pertenceu e autoridades civis.

Antes de iniciar sua homilia, Dom Marco Aurélio convidou a todos a assistirem um vídeo com uma palavra de Dom Mário, testemunho que segundo o Bispo Diocesano, é a melhor interpretação do evangelho. No vídeo, transmitido no telão para os presentes, Dom Mário expressou com simplicidade e verdade a consciência de sua pequenez, em suas palavras “do seu nada”, e manifestou sua gratidão a Deus pela sua bondade em olhar para ele e lhe confiar a graça da vocação sacerdotal.

Diante disso, ao iniciar sua reflexão, Dom Marco Aurélio pontuou que nele se via profundidade, alegria e bom humor, pontos bem característicos de Dom Mário. Em seguida fez um retrospecto da vida dele em nossa Diocese, e destacou que Dom Mário assumiu a Diocese com empenho, com garra e com um ótimo bom humor.

Sobre as iniciativas do saudoso Bispo, Dom Marco Aurélio enumerou:

“Ele criou as estruturas eclesiais que uma Diocese precisa, estruturas básicas de uma Igreja Particular, tanto físicas quanto eclesiais como a construção da Catedral, do seminário, da Cúria e nossa gráfica diocesana, mas também foi aquele que criou organismos muito importantes para a Diocese, como a coordenação de pastoral, os vicariatos episcopais, que hoje chamamos as regiões pastorais, conselho pastoral diocesano. Dom Mário também foi o responsável por conseguir a Co-Sede de Coronel Fabriciano e que o bispo auxiliar se tornasse seu coadjutor, ajudou a nossa Diocese com a criação do Boletim, hoje nosso Elo Litúrgico, e da Festa da Unidade”.

Dom Marco Aurélio ressaltou também que a presença de Dom Mário na ação social dentro do município foi importantíssima, com destaque para sua participação na criação da FUNCESI, onde sua liderança e influência foi prepoderante, bem como sua contribuição na Irmandade Nossa Senhora das Dores.

Ademais, o Bispo Diocesano observou que Dom Mário foi um Bispo muito importante no Leste 2 e também para a CNBB, e que ele sob o lema “como aquele que serve”, testemunhou para nós uma espiritualidade do serviço, com alegria e bom humor.

Na oportunidade, referindo-se ao Evangelho, Dom Marco Aurélio exaltou a beleza da Palavra de Deus nesta festa jubilar, pois segundo a versão de São Lucas, nos apresenta Jesus como aquele que não só dá a doutrina, mas testemunha com a própria vida, como aquele que serve:

Jesus ensina a todos nós a espiritualidade diaconal. As três vezes que aparece a palavra ‘serviço’ neste texto, por detrás está a palavra ‘diácono’, que nos aponta a espiritualidade diaconal, que pode ser chamada de espiritualidade de serviço”.

O Bispo notou ainda que é a isso que o Santo Padre tem nos convidado e nos convocado, a todos nós formamos uma igreja sinodal, ou seja, uma igreja em que todos caminhamos juntos, nos sentindo e nos fazendo responsáveis pela missão. A Igreja sinodal é uma comunidade de servidores, uns aos serviços dos outros, à serviço do anúncio do Evangelho. Deste modo, afirmou Dom Marco Aurélio: “Jesus se apresentando como aquele que serve, ele destrói a imagem idolátrica de um Deus imperial, que precisa ser servido, Jesus apresenta um Deus que se coloca no lugar daquele que serve”.

Por fim, o Bispo expressou sua satisfação a Dom Mário pela possibilidade de ouvir mais atentamente esta palavra e nos dispormos a viver aquilo que o Espírito Santo aponta atualmente como caminho para todos nós.

Ao final, após a Liturgia Eucarística, realizou-se homenagens e manifestações de carinho por parte dos familiares de Dom Mário e representações comunitárias, juntamente com Dom Marco Aurélio Gubiotti e o prefeito municipal,  Marco Antônio Lage, que levaram e depositaram no jazigo de Dom Mário na Cripta da Catedral Diocesana um vaso de orquídeas e uma placa comemorativa da Prefeitura Municipal de Itabira. Nestes momentos destacou-se ainda mais as qualidades e os trabalhos realizados por ele, e evidenciou-se que de fato ele viveu como quem serve.

Comemorações

A ocasião coroou uma série de publicações antecedentes ao dia do Centenário em nossas redes sociais, bem como celebrações mensais, veiculação da Revista Digital de Edição Especial contendo histórico, relatos, depoimentos e curiosidades sobre o saudoso Bispo.

Além disso, para bem fazermos memória da presença luminosa de Dom Mário contou-se também com uma bem humorada peça teatral produzida e apresentada Companhia Itabirana de Teatro, a “A história de um bispo piadoso”, baseada em sua última obra “Só Rindo”.

Fotos: Rayane Dionisio
Pastoral da Comunicação (Pascom)

Veja Também