Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

13 de junho de 2024

55º Dia Mundial das Comunicações Sociais

14/05/2021 . Notícias da Diocese

Lá se vão 55 anos e a Igreja sempre propondo uma reflexão para os comunicadores no Dia da Ascenção do Senhor, esse ano celebrado no dia 16 de maio. A reflexão é proposta para os profissionais da comunicação e também os comunicadores pastorais, aqueles que exercem suas atividades em suas comunidades, suas paróquias como agentes de comunicação da Palavra.

O papa comunica sua mensagem no dia 24 de janeiro, dia de São Francisco de Salles, padroeiro dos Jornalistas.

Sempre atuais, os textos procuram trazer à tona alguma questão sobre o mundo da informação, do exercício do jornalismo e principalmente como a atuação desses profissionais e agentes de pastoral devem ser “Sal da Terra e Luz do Mundo”, ou seja, como mostrar a presença de Cristo em um mundo em construção com as nossas notícias, sejam elas boas ou ruins.

Foi assim que em 2018, por exemplo, como o tema baseado em Jo 8 – 32 “A verdade Vos tornará livres”, o mundo tomou conhecimento da problemática das Fake News, expressão que se tornou sinônima de notícias falsas, intencionais com o objetivo de implantar o ódio e a destruição ou conseguir vantagens indevidas, sejam elas políticas, econômicas.

Em 2019 o Papa Francisco chamou a atenção para a unidade do mundo que deveríamos exaltar no exercício do Jornalismo, jamais contribuir com a divisão, com a exclusão social, afinal “Somos membros uns dos outros” (Ef 4,25)”.

Em 2020, ele propôs que as nossas histórias fossem para “guardar e fixar na memória” (Ex 10,2). A vida se faz história.

Julguei necessário fazer essa introdução, para dizer que o tema e o lema desse ano, seguindo a tendência, é extremamente rico, atual e paradoxalmente simples de ser lido:

Vem e verás (Jo 1,46). Comunicar encontrando as pessoas onde estão e como são

Francisco justifica logo na introdução o convite a ir e ver, uma vez que esse é o método de toda a comunicação humana, “para se contar a verdade da vida que se faz história!” É necessário sair da presunção cômoda do “Já sabido” e mover-se, ir ver, estar com as pessoas e recolher sugestões da realidade, que nunca deixará de nos surpreende”, aliás uma regrinha básica do jornalismo, buscar a fonte da notícia.

“Abre-se maravilhado ao que vires e deixa tuas mãos cumularem-se do vigor da selva, de tal modo que os possam, ao ler-te, tocar o milagre palpitante da vida” diz o papa citando o Beato Manuel Lozano Garrido, jornalista espanhol nascido em 1920, e beatificado em 1920.

Toda mensagem comunicativa deve ser transparente e honesta, independente se na redação do jornal, como no mundo da web, na pregação da igreja, como na comunicação política ou social.

“Vem e verás”, portanto, foi o modo como a fé cristã se comunicou a partir dos primeiros encontros nas margens do Rio Jordão e do Lago da Galileia.

“Gastar as solas dos sapatos”

Mais que um convite a sair da zona de conforto, a leitura do texto para o 55º Dia Mundial das Comunicações Sociais, segue uma linha clara do Papa Francisco ao pregar uma “Igreja em saída”, ao alertar para o risco do nivelamento dos veículos de comunicação, em que o gênero da entrevista, da qualidade da informação acabam perdendo espaço para uma produção pré fabricada, de palácio, construída sem a capacidade de ver e contar a realidade das pessoas e comunidades.

Agradecimento pela coragem de muitos jornalistas

O próprio jornalismo, segundo o Papa, como exposição da realidade, requer a capacidade de ir aonde ninguém mais vai movido pelo desejo de ver. Dessa forma ele dedica um agradecimento especial à coragem desses profissionais, incluindo-se os operadores de câmera, editores, cineastas, entre tantos profissionais que trabalham muitas vezes sob grandes riscos.

Assim, numerosas realidades do planeta, e mais ainda nesses tempos de pandemia, dirigem ao mundo da comunicação um convite para “ir e ver”, para eliminar o risco de narrar a pandemia, ou qualquer crise só com os olhos do mundo rico. Francisco destaca a questão das vacinas e cuidados médicos, por exemplo, em muitos lugares pobres do planeta que, graças à denúncia da imprensa os irmãos mais pobres não foram excluídos dos tratamentos da pandemia.

A PASCOM

A Pastoral da Comunicação tem a função de comunicar a realidade da igreja, tanto dentro quanto para fora dos seus muros. Trabalha em conjunto com as demais pastorais e os veículos de comunicação externos.
A pastoral tem a missão de dar continuidade ao trabalho do Papa Paulo VI, o primeiro a comemorar o Dia Mundial das Comunicações em 07 de maio de 1967. A data foi instituída com o decreto Inter Mirifica. Desde então, vem sendo celebrada no domingo que antecede à Festa de Pentecostes.

Conheça o texto na íntegra, Clicando Aqui!

Texto: José Aparecido Souza – Comunicador Pascom
Revisão: Peterson Machado.