Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

21 de maio de 2022

Sinodalidade e sinodal: palavras que “entraram já no uso quotidiano” da Igreja

12/05/2022 . Igreja

Dom Edgar Peña Parra, Substituto para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado do Vaticano proferiu conferência na Universidade Católica Portuguesa.

Dom Edgar Peña Parra, Substituto para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado do Vaticano, está em Portugal para presidir à Peregrinação dos dias 12 e 13 de maio em Fátima.

Neste dia 11 de maio, em Lisboa, proferiu uma conferência no Instituto Superior de Direito Canónico na Universidade Católica Portuguesa subordinada ao tema: “A sinodalidade na vida da Igreja”.

Na sua comunicação, assinalou que o termo sinodalidade já entrou “no uso quotidiano” da Igreja demonstrando o quanto está “no coração do renovamento promovido pelo Concílio Vaticano II”.

Ouça e compartilhe

“A sinodalidade não é nova na vida da Igreja. A partir do Concílio Vaticano II o conceito de sinodalidade matura nas experiências das igrejas particulares e da Igreja Universal. O próprio termo ‘sinodalidade’, que é um substantivo recém-criado e o correspondente adjetivo ‘sinodal’, ambos que derivam da palavra sínodo, entraram já no uso quotidiano e demonstram o quanto a sinodalidade esteja no coração do renovamento promovido pelo Concílio Vaticano II” – afirmou D. Edgar.

O Substituto da Secretaria de Estado do Vaticano percorreu os principais documentos e pronunciamentos do Santo Padre sobre a temática da sinodalidade, objetivando que o Sínodo sobre a Família de 2014 e 2015 foi uma “prova de sinodalidade vivida”:

“Os trabalhos sinodais sobre a família nos anos 2014 e 2015 e a respetiva Exortação Apostólica “Amoris Laetitia” demonstram avanços muito interessantes no método sinodal e podem ser considerados como uma prova de sinodalidade vivida” – declarou

D. Edgar Peña Parra salientou que na Igreja “ninguém pode ser elevado acima dos outros” e lembrou que para o Papa Francisco a sinodalidade é uma “dimensão constitutiva da Igreja”.

“O Papa define a sinodalidade como dimensão constitutiva da Igreja. Se a Igreja é um contínuo caminhar em conjunto, dentro dela ninguém pode ser elevado acima dos outros. Pelo contrário, na Igreja é necessário que alguém se baixe pondo-se ao serviço dos irmãos” – sublinhou o prelado.

O arcebispo D. Edgar Peña Parra visita neste dia 12 de maio a sede da Jornada Mundial da Juventude 2023 em Lisboa, seguindo depois para o Santuário de Fátima, onde presidirá às celebrações da Peregrinação Aniversária de maio.

Rui Saraiva – Portugal
Imagem capa: Vatican Media