Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

24 de janeiro de 2021

Parolin em Lourdes é um sinal de apoio e esperança, diz padre Cabanac

14/08/2020 . Igreja

O diretor da Peregrinação Nacional Francesa a Lourdes fala da importância de voltar a viver os lugares do Santuário mariano aos pés dos Pirineus. Para a Solenidade da Assunção, a Missa com o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin

Marco Guerra – Vatican News

Com a Celebração Eucarística na Igreja de Santa Bernadete, presidida por Dom Antoine Herouard, teve início na quinta-feira, 13, a peregrinação nacional francesa ao Santuário de Lourdes, já na sua 147ª edição.
Peregrinos de toda a França

Por conta das medidas impostas para conter a pandemia, a peregrinação, que foi inaugurada no dia anterior e prossegue até o dia 17 de agosto, é animada por um número reduzido de participantes em relação ao habitual.

Todavia, pelo menos 500 peregrinos irão ao santuário, representando mais de 22 comitês regionais espalhados em toda a França, coordenados e guiados pela Família Agostiniana da Assunção, pela Hospitalité Notre Dame de Salut e pela Associação Nossa Senhora da Salvação.

Parolin em Lourdes para a Solenidade da Assunção

Estes dias serão um sinal de grande esperança e de retorno à fé vivida em comunidade para todos os católicos do mundo, como atesta o encorajamento que virá do secretário de Estado do Vaticano, cardeal Pietro Parolin, que presidirá a Missa em Lourdes na Solenidade da Assunção de Maria ao céu.

Padre Cabanac: peregrinação é sinal de esperança

“Neste tempo de pandemia era fundamental para nós manter a peregrinação para dar um sinal de esperança, especialmente para os enfermos que não podem vir a Lourdes”, afirmou ao Vatican News padre Vincent Cabanac, diretor da Peregrinação Nacional, falando dos aspectos mais profundos desta edição de 2020: “será uma peregrinação que não será vivida somente em Lourdes, mas em todos os lugares da França onde vivem pessoas doentes”, ressalta ele.

Restrições ainda ativas

Padre Cabanac refere algumas medidas que acompanham o recomeço das peregrinações ao Santuário: “Não se poderá entrar na gruta e mergulhar nas piscinas, mas será possível beber a água, lavar o rosto e participar da Via Sacra. A cada dia aumenta a possibilidade de experimentar todas as etapas da verdadeira peregrinação aqui”, observa

França consagrada a Maria

O diretor da Peregrinação Nacional explica o significado da Solenidade da Assunção para os peregrinos franceses: “Em Lourdes, a Virgem disse: ‘Eu sou a Imaculada Conceição’. Isso representa o início do projeto de Deus para Maria. Porém, quando se celebra a Assunção, é o fim da sua vida terrena e portanto, para nós, Maria é um exemplo a ser seguido do início ao fim da sua vida. É importante compreender isso e também sublinhar o fato que durante séculos a França foi consagrada a Nossa Senhora”.

O apoio de Parolin

Por fim, o religioso francês expressou sua satisfação com a presença do cardeal Parolin: “O secretário de Estado do Vaticano aceitou nosso convite para vir a Lourdes e, apesar da chegada da pandemia, quis cumprir esta promessa. Temos a honra de recebê-lo e de ter seu apoio para a peregrinação”.