Caríssimo(a) irmão(ã), seja bem-vindo(a)!

29 de julho de 2021

Dom Ricardo Hoepers: “Um amigo é fruto do mais sincero sentimento da alma”

21/07/2021 . Igreja

“Um amigo é fruto do mais sincero sentimento da alma. É uma benção de Deus, um toque especial do Criador que desejou compartilhar conosco o que há de mais puro e verdadeiro no seu coração misericordioso”, destaca Ricardo Hoepers.

É com essa definição de amizade que o bispo de Rio Grande (RS) e presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Ricardo Hoepers convida os cristãos a celebrar o dia 20 de julho – Dia do Amigo.

Segundo Dom Ricardo, “toda vez que cultivamos a amizade, trazemos à tona um toque divino nas nossas relações humanas e isso é um equilíbrio para a vida, é um bálsamo para a alma, e uma paz para o coração”.

Ser amigo é ter um tesouro inestimável, frase que virou senso comum quando o assunto é a amizade. O Papa Francisco trouxe na “Fratelli tutti”, a Encíclica social do Papa Francisco que fraternidade e amizade social são os caminhos para construir um mundo melhor, mais justo e pacífico, com o compromisso de todos: pessoas e instituições.

Neste 20 de julho, nada melhor do que recordar a essência dessa fraternidade e amizade social que esteve presente entre as preocupações de Francisco e estão registradas nas páginas da Fratelli Tutti.

“Entrego esta encíclica social como humilde contribuição para a reflexão, a fim de que, perante as várias formas atuais de eliminar ou ignorar os outros, sejamos capazes de reagir com um novo sonho de fraternidade e amizade social que não se limite a palavras. Embora a tenha escrito a partir das minhas convicções cristãs, que me animam e nutrem, procurei fazê-lo de tal maneira que a reflexão se abra ao diálogo com todas as pessoas de boa vontade”, afirma o Sumo Pontífice, na apresentação da Carta.

Foto: UNSPLASH

O arcebispo de Natal (RN), dom Jaime Vieira Rocha escreveu em recente artigo ‘Teologia da Amizade’, publicado no portal da CNBB, no ultimo dia 15 de julho, que na publicação de um teólogo português, José Tolentino Mendonça, intitulada “Nenhum caminho será longo. Teologia da amizade”, o autor destaca que a amizade é caminhar lado a lado e ressalta a definição do teólogo português.

“Um amigo, por definição, é alguém que caminha a nosso lado, mesmo se separado por milhares de quilômetros ou por dezenas de anos. Um amigo reúne estas condições que parecem paradoxais: ele é ao mesmo tempo a pessoa a quem podemos contar tudo e é aquela junto de quem podemos estar longamente em silêncio, sem sentir por isso qualquer constrangimento. Temos certamente amigos dos dois tipos. Com alguns, a nossa amizade cimenta-se na capacidade de fazer circular o relato da vida, a partilha das pequenas histórias, a nomeação verbal do lume que nos alumia. Com outros, a amizade é fundamentalmente uma grande disponibilidade para a escuta, como se aquilo que dizemos fosse sempre apenas a ponta visível de um maravilhoso mundo interior e escondido, que não serão as palavras a expressar”, escreveu José Tolentino Mendonça.

Dom Ricardo Hoepers destaca que na vida cristã é possível ver o quanto Jesus deu importância a amizade. “Chamou os apóstolos de amigos, chorou sobre o túmulo de Lázaro, cultivou boas conversas e encontros que suscitaram vida nova aos novos amigos e amigas”, apontou.

O presidente da Comissão papa a Vida e a Família da CNBB aponta também que Cristo, de fato, se apresentou como Filho, como Irmão e como Amigo de toda humanidade, sem preconceitos e sem discriminação de ninguém.

“Ele nos ensinou que o olhar de Deus não é o da aparência, mas Deus conhece o homem por dentro. Esse é o olhar da verdadeira amizade, quando reconhece a grandeza por dentro, grandeza da alma. Por isso a Sagrada Escritura diz que quem encontrou um amigo encontrou um tesouro”, ressaltou.

“Amigo fiel é poderosa proteção: quem o encontrou, encontrou um tesouro. Ao amigo fiel não há nada que se compare, pois nada equivale ao bem que ele é. Amigo fiel é bálsamo de vida; os que temem o Senhor vão encontrá-lo. Quem teme o Senhor orienta bem sua amizade: como ele é, tal será seu amigo” (Sr 6,14-17).

CNBB