Sejamos Sinais de Esperança

Querido irmão,
Querida irmã,

No dia 19 de fevereiro de 2015, aconteceu o encontro da Província Eclesiástica de Mariana, realizado em Itabira, MG, por ocasião das comemorações do cinquentenário da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano. O objetivo do encontro era salientar a preservação do meio ambiente, analisar a realidade ambiental das quatro dioceses que compõem a província e levantar os sinais de morte decorrentes da exploração das mineradoras em plena atividade na região.

Uma carta compromisso da província eclesiástica sobre o meio ambiente foi escrita para ratificar as aspirações do 1º Seminário da Província sobre Meio Ambiente, nos dias 21 a 23 de novembro de 2014 em Conceição de Ipanema/MG, Diocese de Caratinga. Dentre outras preocupações, a missiva destacava a exploração dos recursos naturais: mineração, construção de barragens. O problema da construção de barragens no entorno das cidades mineradoras sempre foi percebido como ameaça à vida.

A voz profética da Igreja, naquele momento, defendia a vida e denunciava a exploração mineral desordenada e irresponsável, portadora de morte.   A luta pela defesa dos direitos humanos foi assumida por todos. Meses depois, uma triste notícia: as barragens Santarém e Fundão no distrito de Bento Rodrigues, na cidade de Mariana, MG, romperam-se causando dano ao meio ambiente e morte de pessoas. A agressão ocasionada pelo rompimento das barragens é incalculável.

Não há como imaginar o trauma de milhões de pessoas, motivado por esse desastre criminoso. Não se sabe ainda o que a avalanche de rejeito da atividade mineradora provocará ao meio ambiente e a biodiversidade ao longo da Bacia do Rio Doce. Uma coisa é certa: o meio ambiente não suporta mais tanta degradação.

O Papa Francisco, na Carta Encíclica Laudato Sí, de 18 de junho de 2015, conclamou a humanidade a tomar consciência da preservação da casa comum. O Santo Padre, no capítulo quatro do documento, destaca uma relação íntima entre análises ambientais, sociais e humanas. Segundo o Papa, meio ambiente e ser humano são inseparáveis: a destruição de um, ocasionará o desaparecimento do outro.

O caso Mariana é apenas a ponta do iceberg. O relatório da FEAM (Fundação Estadual do Meio Ambiente), órgão responsável pelas barragens mineiras, mostra que a situação é crítica em todo o Estado: “das 735 barragens de MG, 228 são consideradas de ‘alto risco’, destas, 42 não tiveram ‘estabilidade garantida’ pelos auditores em 2014, sendo 29 averiguadas e outras 13 as empresas não apresentaram os documentos necessários”.

Se os órgãos competentes não tomarem medidas preventivas e corretivas, o meio ambiente sofrerá danos irreversíveis.

É lamentável saber que as vítimas que tiveram suas residências destruídas pela lama do rejeito de minério, após o rompimento das barragens em Bento Rodrigues, passarão a Festa do Natal longe do seu ambiente de vida.

Não esqueçamos que esta festa cristã alimenta a esperança do povo. Em meio a tantos dados trágicos, há sempre sinais de vida.

 Portanto, sejamos sinais de esperança sendo solidários com nossas preces e ações junto àqueles que esperam a garantia do cumprimento dos seus direitos.

                Feliz Natal e um Ano Novo pleno da Misericórdia de Deus para você e sua família!

Dom Marco Aurélio Gubiotti
Bispo Diocesano de Itabira-Coronel Fabriciano

Um comentário sobre “Sejamos Sinais de Esperança”

  1. Dom Marco Aurélio, Deus na sua infinita bondade o abençoe pelas belíssimas palavras em favor destes nossos irmãos que sofreram e estão sofrendo com a tsunami provocado pelo descaso de nossos governantes. Que bom vermos que a Igreja está e sempre esteve preocupada com o sofrimento destes nossos irmãos que precisam tanto, destas palavras de fortaleza, de consolo e de encorajamento em não desistirem de lutar. É esta solidariedade, com toda certeza que vai fazer a diferença nas vidas destes nossos irmãos. Deus o abençoe. Saulo Reis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *