A valorização do trabalho dos leigos e leigas

Querido (a) Diocesano (a),

O trabalho do episcopado brasileiro durante a 54ª Assembleia Geral da CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – ocorrida nos dias 06 a 15 de abril, resultou no novo documento da entidade: Cristãos leigos e leigas na Igreja e na Sociedade. Sal da terra e luz do mundo (Mt 5,13-14). O seu conteúdo quer elucidar a vocação e a missão dos leigos, isto é, do serviço à Igreja dos batizados que não exercem o ministério ordenado.

No Documento Conciliar sobre a Igreja, Lumen Gentium, de 1964, abre-se nova perspectiva de compreensão sobre a função do laicato na Igreja e no mundo.  O conceito, Igreja, Povo de Deus, resgatado pelo Concílio Vaticano II (1962-1965), tornou-se chave de leitura para entender  a eclesiologia vigente pregada e vivida na Igreja nos últimos tempos, sobretudo no pontificado do Papa Francisco.

O Decreto Conciliar Apostolicam Actuositatem, sobre o apostolado dos leigos, de 1965, ressalta: O Concílio quer explicar, neste decreto, a natureza, a identidade e a variedade do apostolado dos leigos, enunciar-lhe os princípios fundamentais e dar instruções pastorais para o seu eficaz exercício, estabelecendo normas a serem levadas em conta no direito canônico, no que respeita aos leigos (AA 1). Esta foi a base na qual o laicato se apoiou, consolidando os projetos de transformação social em comunhão com a Igreja.

No Brasil, há décadas que a participação dos leigos é valorizada. Uma das razões desse reconhecimento é a escassez de sacerdotes ordenados. Diante disso, os leigos desempenham seu ministério de forma harmônica com seus pastores atuando nas pastorais, nos movimentos e nos vários serviços de promoção humana. Portanto, o seu trabalho enriquece a diversidade de dons e carismas presentes na Igreja e favorece a evangelização no mundo.

Em nossa Igreja Particular existem leigos organizados que trabalham à frente das comunidades eclesiais colaborando com o dinamismo da Ação Evangelizadora e Pastoral.  Há leigos e leigas atuantes no Ministério da Palavra, do Batismo, Testemunhas Qualificadas para o Matrimônio e Ministros Extraordinários da Distribuição da Sagrada Comunhão Eucarística. A Diocese também conta com Conselho de Leigos, o qual articula a tarefa imensa e difícil de levar os cristãos a agirem na transformação, por dentro das estruturas sociais, sem porém deixar de fazer a sua parte no interno da Igreja (Objetivo do Conselho Nacional de Leigos do Brasil – CNLB) .

Outro espaço de convivência fraterna entre os leigos é a Festa da Diocese. A organização do evento proporciona momentos de acolhida, encontro e celebração da unidade entre as lideranças leigas.

A participação ativa dos leigos nesses eventos, entre outros, desenha o rosto do laicato das três Regiões Pastorais e, aos poucos, cada fiel batizado vai encontrando sua vocação, sendo sal da terra e luz do mundo (Mt 5,13-14).

No mês em que a Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano completa mais um ano de criação e instalação, convido todos para a Festa da Diocese que terá como tema: Povo de Deus cuidando com misericórdia da Casa Comum; e o lema: Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados (Mt 5,6).

Deus seja louvado pela atuação do laicato nas centenas de comunidades distribuídas entre as paróquias e quase paróquia desta Igreja Particular.

Que a presença da Mãe Aparecida, padroeira de Nossa Diocese, anime cada vez mais a missão dos leigos e leigas da nossa Diocese.

Deus abençoe a todos!

Dom Marco Aurélio Gubiotti
Bispo Diocesano deItab ira-Coronel Fabriciano

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *