12 de Abril de 2017

Paróquias da Diocese celebraram as Dores de Nossa Senhora na Terça-feira Santa

Publicado por

Na noite do terceiro dia da Semana Santa, 11 de abril de 2017, as paróquias da Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano celebraram e refletiram as Dores de Nossa Senhora durante os momentos da Paixão de Cristo.

Em Ipatinga, o Santuário Senhor do Bonfim recebeu os fiéis para a Santa Missa que foi presidida pelo vigário paroquial Nivaldo de Souza Aranda e concelebrada pelo diácono João Carlos Medeiros. Após a Celebração Eucarística os fiéis saíram em procissão em direção à Comunidade Santa Teresinha do Menino Jesus, local onde a imagem de Nossa Senhora das Dores foi depositada. A imagem permanecerá na igreja aguardando a Procissão do Encontro que acontecerá nesta quarta-feira santa.

Em Itabira, a Celebração foi realizada na Paróquia Nossa Senhora da Saúde e presidida pelo padre Uíldes Flávio e concelebrada pelo Padre Márcio Soares. A procissão saiu da Igreja Matriz em direção à comunidade Nossa Senhora de Fátima, onde a imagem de Nossa Senhora das Dores permanecerá até a quarta feira, quando será conduzida até o Santuário de São Geraldo Majela para o Sermão do Encontro.

Na Paróquia Nossa Senhora da Conceição Aparecida, em Itabira/MG também houve celebração eucarística e procissão com a imagem de Nossa Senhora das Dores.

Tradicionalmente durante os cortejos realizados na terça-feira santa, são meditadas as sete dores de Maria Santíssima, principalmente as sofridas durante a paixão de Cristo. A Mater Dolorosateve seu culto iniciado em 1221, no mosteiro de Schönau na Alemanha. A imagem da Virgem Dolorosa é representada através de seu semblante de sofrimento. Em seu coração, uma espada de dor transpassa seu peito, recordando a profecia de Simeão, quando da apresentação do Menino Jesus no Templo e todas as dores que ela sofreu. Aos pés da cruz, Maria sofreu sua maior dor ao receber seu filho morto nos braços. Daí surge a imagem da famosa escultura da Pietáe o tradicional canto medievalStabatMaterDolorosa.

Aos pés da cruz, Maria recebeu de Jesus a missão de ser mãe de toda a igreja, corpo místico de Cristo. Foi ali que o Salvador entregou sua mãe a todos os fiéis: Mulher eis aí teu filho. (Cf.Jo 19,26). Vendo Ele o discípulo muito amado diz: Eis aí tua mãe. (Cf. Jo 19, 27). É através deste fundamento que a devoção a Nossa Senhora das Dores se torna tão importante a todos os cristãos. Como Igreja somos convidados a contemplar nas dores de Maria, a redenção do Cristo Jesus. Apesar de todo sofrimento, ela foi capaz de transcender, e em seu Coração Imaculado carregar compaixão, entrega, amor, doçura, humildade, fé e piedade.

Texto: Meire Lucia / Paulo Souza
Fotos: Meire Lucia / Clara Carolina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *