Palavra do Bispo

Fraternidade e Políticas Públicas

“Serás libertado pelo direito e pela justiça”(Is 1,27)

Amados irmãos e irmãs,
Estamos em um novo tempo litúrgico na Igreja: o tempo da quaresma.

A Quaresma é um tempo privilegiado para intensificar o caminho da própria conversão. Este caminho supõe cooperar com a graça, para dar morte ao homem velho que atua em nós. Trata-se de romper com o pecado que habita em nossos corações, nos afastar de todo aquilo que nos separa do plano da salvação, e por conseguinte, de nossa felicidade e realização pessoal.

A Quaresma nos provoca e convoca à conversão, mudança de vida e mentalidade e a cultivarmos o caminho do seguimento a Jesus. Ela ainda nos desperta para a necessidade da partilha, ensinando-nos a viver de forma sóbria e a sermos solidários com nossos irmãos e irmãs. Neste tempo, somos convocados pela Igreja a fazermos um caminho pessoal, comentário e social que visibilize a salvação paterna de Deus com a Campanha da Fraternidade. Ela educa-nos para a vida fraterna e colabora para o despertar de uma consciência com base na justiça e no amor, exigências centrais do Evangelho.

A Campanha da Fraternidade, que tem seu início na quarta-feira de cinzas,é uma motivação a mais para que, convertidos e solidários, sejamos sinais do Ressuscitado em meio à sociedade.Seu objetivo é um despertar para a vida toda e não só em um período do ano, o que não dispensa um período de forte conscientização que acontece durante a quaresma. Uma verdadeira sensibilização capaz de converter o coração e transformar a ação de cada fiel inserindo em seu dia-a-dia ações que ajudem a superar os desafios apresentados em cada campanha. Por esta razão torna-se uma grande ocasião para motivar o profetismo na vida de cada comunidade e contribuir na construção de um mundo novo.

Neste ano, sobretudo durante esta quaresma, a Igreja nos convida a refletir sobre Fraternidade e Políticas Públicas e a assumirmos gestos concretos que visam o bem comum. O lema desta campanha, “Serás libertado pelo direito e pela justiça” (Is 1,27), traz esperança aos que sofrem e vivem em situação de miséria e de total abandono. Mas por que falar e políticas públicas? Isso diz respeito a missão da Igreja? O próprio lema já nos diz: conhecer nossos direitos, por eles lutar e com eles atuar é o caminho que liberta e promove a justiça. A Igreja como sacramento visível do Deus invisível deve ser para o mundo sinal profético do Deus que age constantemente na história em favor de seu povo.

Poderíamos nos perguntar: o que são políticas públicas? De acordo com o texto-base, trata-se de um conjunto de ações desenvolvidas pelos gestores públicos para promover o bem comum, a segurança e a ordem, por meio da garantia dos direitos e deveres dos cidadãos. Precisamos de Políticas Públicas que assegurem os direitos sociais aos mais frágeis e vulneráveis.Neste cenário a Campanha da Fraternidade deseja estimular a participação em Políticas Públicas em vista da promoção social, à luz da Palavra de Deus e da Doutrina Social da Igreja para fortalecer a cidadania e o bem comum, sinais de fraternidade.

Os convido, irmãos e irmãs, a participarem do gesto concreto da CF 2019 que acontece com a coleta da solidariedade, no dia 14 de abril, Domingo de Ramos e da Paixão do Senhor. São com os recursos oriundos desta campanha que a Igreja financia projetos que estimulam a participação e visam o bem comum e a promoção social.

Desejo a todos uma abençoada quaresma. Que Nossa Senhora seja nossa companheira no caminho de nossa conversão.

Que Deus vos abençoe e vos guarde.

+ Dom Marco Aurélio Gubiotti
Bispo Diocesano de Itabira-Coronel Fabriciano
“Pela Graça de Deus” (1Cor 15,10)

Dom Marco Aurélio

É o atual Bispo da Diocese, sua ordenação episcopal aconteceu no dia 26 de maio de 2013. Foi nomeado Bispo da Diocese por sua Santidade Bento XVI, hoje Papa Emérito, no dia 21 de fevereiro de 2013, tomando posse no mesmo ano, na Festa da Diocese, em Itabira - MG.

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário