Diocese de Itabira – Coronel Fabriciano

50anos_dioceseA diocese de Itabira/Cel. Frabriciano foi criada em 14 de junho de 1965, pela Bula Haud Inani do Papa Paulo VI, com território desmembrado das Arquidioceses de Mariana e Diamantina.

O território diocesano abrange 24 municípios, numa área de 8.749,8 Km² bastante diversificada, marcada sobremaneira pelas macro-indústrias de ferro, aço e celulose.

Inserida na Província Eclesiástica de Mariana, a Diocese, tem como sede do Bispado a cidade de Itabira, e como Co-Sede a Cidade de Coronel Frabriciano. É dividida em 3 Regiões Pastorais, e possui 49 paróquias.

O primeiro Bispo Diocesano, foi Dom Marcos Antonio Noronha, sagrado bispo em 14 de agosto de 1965 e empossado em 29 de dezembro do mesmo ano. Antes de assumir a diocese, Dom Marcos participou da última sessão do Concílio Ecumênico Vaticano II em Roma e ao memos tempo, da 7ª Assembleia Geral Extraordinária dos Bispos do brasil, na qual os bispos debateram um Plano de pastoral de Conjunto. Dom Marcos Noronha governou a Diocese de 1965 à 1970.

O Bispo sucessor foi Dom Mário Teixeira Gurgel, que assumiu a Diocese em 18 de junho de 1971. Dom Mário deu continuidade no trabalho inciado anteriormente que foi profundamente marcado pelo espírito do Vaticano II: abertura ao munda e renovação da Igreja, em tempo de ditadura. Foi de todos o bispo que permaneceu mais tempo a frente de nossa diocese, com 25 na função de bispo titular.

Dom Lelis Lara foi o terceiro bispo da Diocese. Tomou posse como bispo diocesano em 1996, porém já trabalhava na Diocese como Bispo Auxiliar, e cuidava da Co-Sede em Cel. Fabriciano. Dom Lara foi ordenado bispo também em nossa diocese, quando trabalhava como pároco na cidade de Coronel Fabriciano, e é considerado uma encicópledia diocesana viva, visto que chegou à diocese como padre, meses depois da renúcia de Dom Marcos Noronha e conhece toda a história da diocese desde então. Tornou-se Bispo Emérito com a chegada de Dom Odilon em 2003.

Dom Odilon, governou a Diocese por 10 anos e deu a ela, uma face missionária. Sempre enfatizou a importância dos conselhos e serviços pastorais, das celebrações dominicais, dos grupos de reflexão e do serviço de animação vocacional. Em suas visitas pastorais sempre insistia na dimensão missionária da Diocese e na importância do trabalho das pastorais sociais.

Atualmente o governo diocesano está sob a responsabilidade de Dom Marco Aurélio Gubiotti, que assumi sua função de Bispo Diocesano coordenando os trabalhos da assembleia diocesana e do ano jubilar da Diocese, que se prepara para celebrar seus 50 anos de existência. Dom Marco Aurélio faz questão de trazer para a Diocese a questão da unidade. Segundo Dom Marco, Há nessa igreja particular uma peculiaridade que é a importância dada à missionaridade e se faz necessário a união de todos os diocesanos para que isso persista.

A Diocese de Itabira-Coronel Fabriciano surgiu ao final do Concílio Vaticano II, e inicia as celebrações de seus 50 anos de existência.

Fonte: Departamento de Comunicação – Diocese de Itabira/Cel. Fabriciano